Cruzeiro vence fora de casa o Figueirense com Mário Sérgio

Foi assim a partida em que o Cruzeiro arrancou vitória importante de 4 a 3 sobre o Figueirense

Jogo limpo, na bola, com apenas um cart?o amarelo, e cheio de gols e emo??o. Foi assim a partida em que o Cruzeiro arrancou vit?ria importante de 4 a 3 sobre o Figueirense, neste domingo, no est?dio Orlando Scarpelli. O time agora torce para o trope?o do Palmeiras para o Vasco para, com 46 pontos ganhos, assumir pelo saldo de gols a vice-lideran?a do Campeonato Brasileiro. O Figueira, que estreou o t?cnico M?rio S?rgio, teve sua sexta derrota seguida e se mant?m com 28 pontos ganhos, mais perto da zona de rebaixamento.

Os gols foram de Guilherme (2), Thiago Ribeiro e Henrique para o Cruzeiro. Bruno Santos, Ramon e Diogo fizeram os do time da casa. Na pr?xima rodada, o Figueira vai a Belo Horizonte enfrentar o Atl?tico-MG, no s?bado. A Raposa faz jogo importante contra o S?o Paulo, domingo, no Morumbi.

Bom In?cio

Os quatro gols nos primeiros 45 minutos mostraram que o primeiro tempo foi intenso e cheio de alternativas. O Cruzeiro, mais bem armado e com superioridade t?cnica, acabou cedendo o empate por falhas no seu sistema defensivo. Bom para o Figueirense. O t?cnico M?rio S?rgio estreou com a responsabilidade de quebrar a s?rie de cinco derrotas seguidas. De cara, armou um esquema 3-6-1 para conter o poder ofensivo da Raposa e promoveu as estr?ias do zagueiro Alex e do ala-meia Alex Cazumba.

Foi o pr?prio Alex Cazumba quem come?ou a primeira boa jogada do Alvinegro na partida. Aos sete, lan?ou da esquerda para a direita. Diogo centrou para a ?rea, e Bruno Santos, ?nico atacante do time, chegou atrasado no lance.

Parecia que o time viria melhor, mas as apar?ncias enganaram. N?o demorou muito para o Cruzeiro superar o esquema defensivo de M?rio S?rgio. Desfalcado de Ramires, mas com Marquinhos Paran? de volta ao meio-campo cheio de g?s, a Raposa imp?s logo o seu jogo veloz cheio de toques r?pidos.

Velocidade e Gols

Aos 8, pela esquerda, Thiago Ribeiro foi ao fundo e centrou para tr?s, mas Guilherme n?o estava na ?rea, e a zaga salvou. Aos 12, Guilherme, j? ligado na partida, meteu bola na medida para Thiago Ribeiro desperdi?ar. Mas aos 13, a blitz azul foi bem-sucedida, com boa contribui??o da defesa do Figueira: Cleiton Xavier perdeu a bola na intermedi?ria, e Guilherme tocou para Wagner. O camisa 10 bateu de p? direito, mas fraco. Wilson falhou e soltou nos p?s de Guilherme, que apenas escorou para as redes.

Com o gol cruzeirense, aumentou a tens?o para o Figueira. O meio-campo estava perdido, errava passes e esbarrava na forte marca??o advers?ria. At? que, aos 26 minutos, num lance isolado em contra-ataque, a defesa cruzeirense falhou na marca??o. Diogo, pela direita, lan?ou Bruno Santos na esquerda. O atacante deu lindo drible em Jonathan e bateu sem defesa para F?bio, empatando a partida.

Nem deu tempo para a torcida do Figueira comemorar. Em escanteio cobrado por Wagner pela direita, a zaga cabeceou para o meio da ?rea. Erro fatal. Henrique, cria do Alvinegro catarinense, agora com a camisa azul, bateu de voleio: 2 a 1.

Dois minutos depois, Thiago Ribeiro tentou fazer gola?o e desperdi?ou a chance de ampliar o placar. A Raposa acabou punida. Aos 36, em jogada pela esquerda, Bruno Santos centrou para a ?rea. Ramon cabeceou para baixo, o quique da bola enganou F?bio, que falhou e espalmou para tr?s. Cleiton Xavier ainda entrou para escorar para as redes, mas a bola j? havia entrado: gol de Ramon, empate alvinegro.

Vit?ria da Raposa

Aos 43 minutos, Guilherme isolou a chance de o Cruzeiro terminar em vantagem a primeira etapa. E um lance pode mudar a cara da partida. Sorte para o Figueira, que acabou crescendo no in?cio do segundo tempo e criou v?rias chances claras. Aos dois minutos e trinta segundos, Bruno Santos dividiu com F?bio e a bola sobrou limpa para Ramon, que com o gol vazio bateu para fora. Aos nove, foi a vez de Cleiton Xavier bater fraco da entrada da ?rea. Espinoza bloqueou com o peito.

Sim, os atacantes alvinegros estavam ruins de mira. S? que, aos 13, em outra boa jogada de Bruno Santos, melhor da equipe, o Figueira chegou ao terceiro gol. Ele entrou driblando na ?rea, e a bola sobrou para Diogo - outro bem na partida -, que bateu com for?a, sem defesa para F?bio.

O dia parecia do Figueira. No minuto seguinte, o goleiro Wilson se redimiu ao salvar gol que Guilherme, que j? sa?a para comemorar. A Raposa teve de come?ar tudo de novo. Camilo entrou no lugar de Elicarlos e o t?cnico Adilson Batista conseguiu reequilibrar o jogo. E foi justamente Camilo quem participou do gol de empate. Aos 23, ele tocou da esquerda, para tr?s. Thiago Ribeiro deixou Diogo no ch?o e tocou para as redes.

O t?cnico M?rio S?rgio resolveu tirar o melhor jogador, Bruno Santos, que estava cansado, mas incomodava a defesa. Acabou punido. A Raposa voltou a crescer e, aos 33, em jogada linda pela direita, Thiago Ribeiro troca passes com Marquinhos Paran? e bate cruzado. Wilson salva, mas, no rebote, estava ele l?, Guilherme, para escorar e fazer 4 a 3.

Fonte: Globo Esporte