De caça a caçador: Jobson é o jogador mais indisciplinado do Brasileiro

Só que a mesma ousadia acaba sendo prejudicial para o Tricolor.



Jobson não demorou muito para cair nas graças da torcida do Bahia. Com suas ?diabruras? em campo, o atacante se tornou a principal referência do time na Série A do Brasileiro. Só que a mesma ousadia acaba sendo prejudicial para o Tricolor.

Acostumado a ser a caça dos times adversários, Jobson virou o caçador. Em nove partidas disputadas, Jobson levou sete cartões: seis amarelos e um vermelho. Na próxima rodada, contra o Vasco, o atacante cumprirá suspensão automática pela segunda vez no Brasileiro.

- Às vezes ele quer ajudar e acaba prejudicando. Nisso, leva os cartões ? opinou o atacante Souza.

Jobson é o primeiro jogador do Brasileiro a cumprir duas suspensões. A primeira foi por causa da sequência de três cartões amarelos. Agora pela expulsão diante do Coritiba.

Mesmo que não fosse expulso, o atacante do Bahia iria ficar de fora do jogo de quinta. Contra o Coxa ele levou o terceiro cartão amarelo, mas como o vermelho só saiu depois da segunda advertência, o que vale é a expulsão.

Nesse caso, Jobson voltará contra o Figueirense, no domingo, só que ainda pendurado com dois cartões amarelos.

Atacantes caçadores

A situação de Jobson, que é o jogador com o maior número de cartões no Brasileiro, revela um dado curioso nesta Série A. Três atletas levaram cinco cartões nas 11 primeiras rodadas. Dois deles são atacantes: Rhayner, do Figueirense, e Luan, do Palmeiras.

- O atacante não tem esse cacoete de marcar. Por isso é que acaba cometendo faltas ? comentou o zagueiro Titi.

A situação do atacante do Bahia é ainda mais alarmante. Ele é o 11º jogador mais faltoso da Série A e o que mais cometeu faltas pelo Bahia (24 no total).

- Com ele tem que ser na conversa. René (Simões, técnico do Bahia) já conversou com ele para diminuir. São lances bobos que acabam gerando cartões desnecessários ? disse Titi.

O treinador do Bahia, que já havia criticado o atacante pelo excesso de cartões, defendeu Jobson depois da partida contra o Coritiba:

- Ele brigou o tempo todo pela bola. O primeiro cartão que ele levou foi uma jogada que ele parou o contra-ataque. No segundo ele podia dar uma seguradinha, mas ele brigou pela bola.

Além desta vontade excessiva em determinados lances, Souza vê outro motivo que pode contribuir para um início de Brasileiro tão indisciplinado de Jobson.

- Tem que entender que ele está com os problemas. O resultado do julgamento deve sair na próxima semana e isso pode estar atrapalhando ele. É um menino alegre, brincalhão, mas por dentro ele está sentindo isso ? disse o atacante em referência ao julgamento do caso de doping de Jobson na Corte Arbitral do Esporte (CAS).

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com