Dia amanhece tranquilo no Flamengo após vitória

No Engenhão lotado, Flamengo afunda Guarani e sai do sufoco

O temor do rebaixamento já está mais longe da Gávea, mas cada vez mais próximo do Brinco de Ouro da Princesa. Em jogo fundamental para a pretensão das duas equipes na reta final do Campeonato Brasileiro, o Flamengo voltou a respirar graças a uma vitória contra o Guarani, neste sábado, no Engenhão. Renato Abreu e Diego Maurício aliviaram a tensão rubro-negra em triunfo por 2 a 1 construído diante de quase 40 mil torcedores.

Com a vitória, o Flamengo foi a 43 pontos e começará o domingo na décima terceira posição, com seis pontos a mais que o Avaí, clube que abre a zona de rebaixamento. O Guarani também tem 37 e só está à frente de Goiás e Grêmio Prudente. Na última rodada, ainda pegará o Fluminense no mesmo Engenhão onde sucumbiu neste sábado.

A partida no Engenhão mobilizou todo o Rio de Janeiro, já que deveria ser a despedida do Flamengo da capital. O próximo jogo, contra o Cruzeiro, deve ser em Volta Redonda diante do Cruzeiro. O clube rubro-negrou chegou a vender ingressos a R$ 5 para tentar encher o estádio, outro objetivo que foi alcançado neste sábado. Ao vencer, o Flamengo também quebrou uma sequência delicada de seis jogos sem vitória no Brasileiro.



Os lances da vitória flamenguista

Encarando o duelo com o Guarani como decisão, o Flamengo foi sempre protagonista nos primeiros 45 minutos no Engenhão. Isto, porém, apenas na iniciativa, já que esteve longe de mostrar um padrão de jogo à altura de sua camisa. Excessivamente recuado, o Guarani justificou o fato de ter o pior ataque do Campeonato Brasileiro, levando perigo apenas na bola parada de Baiano e em raríssimas estocadas de Mazola, sozinho na frente.

A torcida rubro-negra ainda assim teve mais motivos para festa que tristeza no primeiro tempo. Já aos 2min, Renato Abreu cobrou linda falta de longe e não deu chances para Emerson, trazendo um clima muito positivo para o bom público do Engenhão. Foi o terceiro gol de Renato desta forma no Campeonato Brasileiro.

O Flamengo ainda tentava se reorganizar em campo quando recebeu a resposta na mesma moeda. Baiano, aos 12min, bateu falta da esquerda, a bola passou por toda a defesa e também por Marcelo Lomba, morrendo no fundo das redes. Após mais uma falha, Lomba foi vaiado pela torcida. As arquibancadas chegaram a gritar pelo nome de Bruno, preso há cerca de cinco meses.

O gol paulista fez com que toda a energia positiva se virasse contra o Fla, pressionado por três pontos dentro de casa. A torcida deixou de jogar 100% junto e o time só tocava curto, sem deslocamentos, com dificuldade de ameaçar Emerson. Só mesmo Diego Maurício, acionado aos 22min por conta de lesão de Deivid no tornozelo, para oxigenar a partida.

Depois de criar boa jogada com ele e finalizar prensado, à esquerda do gol de Emerson, o Flamengo se encorpou e teve boa chance: lançado por Maldonado, Léo Moura bateu e balançou, por fora, a rede do Guarani. O lance foi bom presságio: esforçado, Diogo tentou invadir a área trombando com a defesa. Diego Maurício, ligado, recolheu e chutou forte, aliviando o sofrimento flamenguista na primeira etapa.

Com cautela, o Flamengo voltou para a segunda etapa mais disposto em não sofrer gols do que em marcá-los. Assim, administrou a bola durante os 20 primeiros minutos. A estratégia dava certo, já que o Guarani não ameaçou em nenhum lance mais agudo. Vanderlei Luxemburgo, entretanto, tinha outros planos. Com Marquinhos e Petkovic, ambos pedidos pela torcida, voltou a jogar na frente como no primeiro tempo.

Em seu primeiro lance, o sérvio do Fla esboçou bela arrancada à área do Guarani, mas foi travado na hora de finalizar. Jogando em cima e bem postado na defesa, o time da casa controlou a tentativa de pressão do Guarani, que mostrou pouco poder ofensivo e ficou muito perto do rebaixamento.

Fonte: Terra, www.terra.com.br