Diego Hypolito desabafa e volta a criticar o Flamengo

"É engraçado dizer que não tem dinheiro e contratar jogador de R$ 200 mil por mês"

O discurso foi um pouco mais ameno do que o de dois meses atrás. Mas, nesta quinta-feira, na Gávea, Diego Hypolito voltou a desabafar sobre sua situação no Flamengo. Sem contrato com o clube desde o fim do ano passado, o ginasta, que voltou aos treinamentos após cirurgia no ombro esquerdo, reclamou sobre a falta de investimentos da diretoria rubro-negra na ginástica olímpica.

- É engraçado dizer que não tem dinheiro e contratar jogador de R$ 200 mil por mês. Eu não quero ficar reclamando. Não vislumbro gerar polêmica com o Flamengo. Não desmereço o clube, mas não temos como negar que há um desmerecimento com os atletas da ginástica. Não só aqui. O Rio de Janeiro é muito carente de atletas. Ainda bem que tem gente que investe no esporte. Se não, a ginástica no Rio já teria morrido.

Embora afirme que o Flamengo se responsabiliza pelos custos de suas viagens e pelo pagamento da comissão técnica, Diego lembra que ainda tem quatro meses de salário a receber referentes ao contrato de 2008. Eram seis, mas, durante a gestão de Marcos Braz, atual vice de futebol, o Flamengo pagou parte da dívida. O ginasta voltou a falar da possibilidade de sair da Gávea em busca de uma nova equipe, apesar de dizer que sua cabeça, no momento, está focada na recuperação.

- Pode existir a possibilidade, mas nunca declarei isso. O que acontece é que antes era inexistente. Hoje, já não é. Mas minha preocupação agora é me recuperar da lesão. Deixo isso com o meu empresário. Parei de me preocupar com isso. Eu me desgastei demais no início do ano.

Apesar do desabafo, Diego afirma estar bem. Após um início de ano complicado, ainda pelo mau desempenho nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, o ginasta diz estar vivendo o melhor momento da carreira e da vida pessoal. Recentemente comprou, ao lado da irmã, Daniele, um apartamento na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. No entanto, não deixa de criticar a falta de valorização do esporte brasileiro.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com