Em duelo decidido nos últimos minutos, Ponte Preta derruba a Portuguesa com 2 x 0

Em duelo decidido nos últimos minutos, Ponte Preta derruba a Portuguesa com 2 x 0

Portuguesa vinha se mantendo invícta

Tudo caminhava para mais uma partida de jejum da Ponte Preta e de invencibilidade da Portuguesa, mas um gol de Giancarlo aos 38 minutos do segundo tempo, quando a torcida já protestava e o clima era de tensão, garantiu a vitória da Macaca por 2 a 1, na noite deste sábado, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Giancarlo, aliás, foi o herói da reabilitação alvinegra. Substituto de Roger, ele também abriu o placar, em uma meia bicicleta, no primeiro tempo. Também antes do intervalo, Bruno Mineiro descontou para a Lusa.

O resultado faz Ponte e Portuguesa trocarem de posições na tabela. Após três derrotas consecutivas e quatro jogos sem vencer, a Macaca chegou aos 23 pontos, na 13ª colocação. A Lusa, que sofreu uma derrota após oito partidas, aparece logo abaixo, em 14º, com 22 pontos.

As duas equipes voltam a campo quarta-feira. Com o ânimo renovado, a Macaca enfrenta o líder Atlético-MG, em Belo Horizonte. A Portuguesa, por sua vez, tem pela frente mais um duelo paulista: o Palmeiras, no Canindé. Ambos os duelos estão marcados para as 20h30.

Ponte sai na frente, mas Lusa faz justiça com empate

O início do primeiro tempo mostrou duas equipes dispostas a atacar. Logo no segundo minuto, Moisés pegou sobra na entrada da área, dominou no peito com estilo e soltou a bomba de esquerda. A bola passou perto do travessão. A resposta da Macaca foi imediata. E eficiente.

Aos cinco minutos, Giancarlo abriu o placar em um lindo gol de meia bicicleta. Após cobrança de lateral, ele protegeu e virou com estilo em cima de Gustavo, mandando no canto esquerdo de Dida. O prejuízo da Lusa aumentou aos 12 minutos, com a saída de Heverton, que sentiu lesão muscular e deu lugar a Diguinho.

O que parecia ser um mal sinal acabou beneficiando a equipe. A mudança deu mais dinamismo ao meio da Portuguesa, que, apesar de melhor em campo, ainda levou um susto aos 17 minutos, quando Marcinho tabelou com Rildo e arriscou. Dida buscou. Foi o último lance de perigo da Macaca na etapa inicial. Depois, só deu Lusa.

O empate não demorou a sair. Aos 23 minutos, em cobrança de falta de Ivan, a bola passou por todo mundo e encontrou Bruno Mineiro. Sozinho na segunda trave, ele aproveitou a falha defensiva da Macaca e completou de cabeça para as redes.

O gol deu moral para os visitantes. A Lusa não virou por pouco aos 30 minutos. Diguinho recebeu dentro da área, deixou Cicinho para trás e bateu cruzado. A bola cruzou a linha do gol de Edson Bastos, sem ninguém encostar, e acabou na linha lateral.

Do lado da Ponte, as preocupações estavam voltadas para a arbitragem. A principal reclamação foi de um pênalti de Valdomiro em Giancarlo, em lance semelhante ao do gol pontepretano. Rildo, por sua vez, simulou diversas faltas e só conquistou a antipatia dos rivais. Apática em campo, a Macaca foi para vestiário sob vaias e pedidos de raça da torcida.

Giancarlo resolve para a Ponte no fim

O cenário não mudou no início do segundo tempo. A Lusa continuou melhor, trocando passes e marcando presença constante na área de Edson Bastos. A Ponte continuou abusando dos chutões, sem criatividade no meio. Na tentativa de alterar o panorama, Kleina sacou um sumido Marcinho e apostou em Nikão.

A Ponte chegou aos 16 minutos. Em jogada individual, Ricardinho colocou Dida para trabalhar. O meia recebeu da entrada da área, ameaçou bater de direita, levou para esquerda e disparou. O goleiro da Lusa esticou a mão direita e espalmou. O lance acordou a Macaca. Giancarlo assustou em cabeçada firme, bem defendida por Dida.

Mas a Lusa também não estava morta e mandou o recado com Diguinho em chute rasteiro. Precisando do resultado positivo, Kleina desfez o esquema com três zagueiros e partiu para cima com tudo ao colocar Luan e Bruno Sabino nos lugares de Rildo e Tiago Alves, respectivamente. A estratégia deu certo.

Na base do abafa, a Ponte encurralou a Portuguesa e chegou ao segundo gol. Nikão dominou pela direita e colocou na cabeça de Giancarlo. Depois de duas tentativas paradas por Dida no segundo tempo, desta vez, o atacante levou a melhor, testou no chão e recolocou a Macaca na frente, marcando pela segunda vez na partida, aos 38 minutos.

As vaias viraram gritos de incentivo. A tensão virou alívio no Majestoso, não antes de um último susto. Já nos acréscimos, Gustavo acertou o travessão de Edson Bastos. Foi sofrido até o fim, mas a Macaca segurou a vitória e conquistou a tão sonhada reabilitação.

Fonte: Globo Esporte