Em jogaço na Vila, Santos e Atlético-MG terminam empatados

Em jogaço na Vila, Santos e Atlético-MG terminam empatados

Duelo teve de tudo: gol mais rápido do Brasileirão, golaço marcado por Neymar e apreensão após choque do zagueiro do Galo Rafael Marques

Nas arquibancadas, a torcida do Atlético-MG fazia menção de reverência ao ídolo Ronaldinho Gaúcho. Dentro de campo, antes do início do jogo, o próprio Neymar repetiu o gesto antes de cumprimentar R49 e trocou palavras ao pé do ouvido com o meia. Quando a bola rolou, o jovem astro, completando 200 jogos pelo Santos, fez um golaço, mas não foi decisivo. Ronaldinho também ajudou o Galo com passes, e no fim o placar foi de 2 a 2 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro. Apesar disso, valeu muita a presença do atacante de moicano, que enfrentou maratona vindo da Polônia, onde a Seleção venceu o Japão por 4 a 0, na terça-feira, até o Brasil.

Além do movimentado primeiro tempo, que aos 26 minutos já marcava 2 a 2 no placar e chegou a lembrar o duelo histórico entre Santos e Flamengo pelo Brasileirão de 2011, o empate foi repleto de drama. Na jogada que originou o gol de Jô, o segundo do Galo na partida, Rafael Marques se chocou de cabeça com o companheiro Leonardo Silva e ficou desacordado. Após 11 minutos de apreensão, o zagueiro recebeu atendimento médico e foi encaminhado ao pronto socorro ao lado do hospital Santa Casa de Santos. No segundo tempo, Bernard também sentiu problema grave, com princípio de convulsão e taquicardia após choque com Henrique, mas passa bem.

Com o empate, o sonho do título fica mais distante para o Atlético-MG, e o último fio de esperança pela Libertadores praticamente se esvai para o Santos.

Agora, o Peixe vai a Campinas encarar a Ponte Preta, neste domingo, às 18h30m, no estádio Moisés Lucarelli. E sem Neymar, punido pelo STJD. O Atlético-MG, por sua vez, recebe o Fluminense em jogo com cara de final, no estádio Independência, às 16h, também no domingo. As duas partidas são válidas pela 32ª rodada do Brasileirão.

Jogaço e drama na Vila

Não deu tempo de respirar. Quando se tem Ronaldinho Gaúcho de um lado e Neymar do outro, o torcedor não pode hesitar. E foi isso o que aconteceu na Vila Belmiro. Avassalador e inspirado pela presença de seu astro, o Santos só deixou o Atlético-MG encostar na bola depois de estufar a rede adversária. Desde o apito inicial do árbitro Héber Roberto Lopes, foram poucos toques até o Peixe abrir o placar. Em 19 segundos, Léo lançou Neymar, que tocou de cabeça pela esquerda para Felipe Anderson. O meia foi até a linha de fundo e cruzou na medida para Miralles, de primeira, vencer Victor: 1 a 0 no gol mais rápido do Brasileirão deste ano.

O número 200 na camisa de Neymar remetia aos jogos do atacante pelo Santos, mas também poderia ser a velocidade com que o atleta corria em campo. Aos 11 minutos, atacante protagonizou golaço. De costas, ele deu drible entre as pernas de Rafael Marques e passou também por Leonardo Silva. A dupla de zagueiros ficou no chão. Em seguida, foi para cima de Junior Cesar, puxou para a perna direita e, depois de ameaçar o chute, finalizou cruzado no canto direito de Victor.

Ameaçava-se uma goleada santista, mas do outro lado estava o Atlético-MG, vice-líder e com astros do porte de Ronaldinho Gaúcho e Bernard. Cuca escalou pela primeira vez no Brasileirão três volantes, mas o plano de segurar Neymar já parecia ter ido por água abaixo. Foi então que a partida ganhou contornos de jogaço. A reação mineira começou aos 17. Pela direita, Serginho deu belo drible da vaca em Léo e cruzou na cabeça de Bernard, que diminuiu a vantagem dos donos da casa: 2 a 1.

O lance deu ânimo ao Galo, que passou a comandar a partida. No meio de campo, Marcos Rocha recebeu passe de Ronaldinho Gaúcho e deu belo lançamento para Bernard. Pela esquerda, o jovem atacante de 20 anos invadiu a área e dividiu com Rafael. No rebote, o artilheiro Jô não perdoou e deixou tudo igual, aos 26. Explosão de alegria dos atleticanos, e o filme do jogo entre Santos e Flamengo válido pelo Brasileirão de 2011 passava na cabeça de todos. Mas um fato triste esfriou tudo.

Na mesma jogada de contra-ataque que originou o gol do Galo, o zagueiro Rafael Marques se chocou de cabeça com o companheiro Leonardo Silva e caiu desacordado no gramado. Aflitos com a situação, jogadores de Santos e Atlético-MG cobraram a presença da ambulância no gramado, mas o veículo não conseguiu acessar o campo, por conta de uma rampa e da falta de espaço. Só depois de 11 minutos dois funcionários do Corpo de Bombeiros imobilizaram o jogador e o retiraram do estádio direto para o Pronto Socorro ao lado do hospital Santa Casa de Santos.

Passado o drama geral, o Atlético-MG continuou pressionando o Santos, mas não conseguiu nada que alterasse o marcador antes do intervalo.

Ritmo cai, drama aumenta, e placar não mexe

Com a entrada de Richarlyson no lugar de Rafael Marques ainda na etapa inicial, o Galo mudou a forma de jogar. O time passou a ter três zagueiros: Leonardo Silva, Serginho e Richarlyson, estes dois últimos improvisados, já que Cuca não pôde levar defensores para o banco de reservas ? Réver está suspenso, e Luiz Eduardo, lesionado. Assim como no fim do primeiro tempo, o time mineiro seguiu melhor.

Ronaldinho aproveitou bola parada e cruzou na cabeça de Richarlyson, que por muito pouco não virou o placar. Depois, novamente nos pés do craque, o Galo ficou no quase. Desta vez, R49 recebeu cruzamento de Marcos Rocha e tocou para o meio da área. Henrique interceptou o passe, mas quase fez contra, não fosse a intervenção de Rafael.

Neste meio tempo, o Santos só ameaçou em uma falta cobrada por Neymar, à esquerda de Victor. Nitidamente o Peixe perdeu o ritmo da etapa inicial. Percebendo a queda de produção, Muricy Ramalho também mexeu: substituiu Felipe Anderson por Bernardo. Na primeira jogada do meia, ele cruzou bola perigosa pela direita, e Neymar dividiu com Victor, mas a zaga do Galo afastou o rebote.

Neymar bem que tentou novamente deixar sua marca e fazer do jogo de número 200 mais especial, mas parou em Victor. Perto da meia-lua, ele girou e finalizou no canto esquerdo do goleiro atleticano, que se esticou todo e fez a defesa aos 24. Miralles, pelo Santos, e Leonardo (que entrou no lugar de Jô), pelo Atlético-MG, tiveram boas chances de definir o placar, mas ambos pecaram nas finalizações.

Ainda houve tempo para mais drama na Vila Belmiro. Aos 32, Bernard chocou-se com Henrique e caiu no gramado pedindo substituição, mas Cuca já havia feito todas as modificações. O meia foi retirado de maca e colocou um colete protetor na região do pescoço. Em função do problema com Rafael Marques, os médicos do Atlético-MG foram mobilizados para o hospital com o jogador. Sem profissionais do Galo para atender os atletas do time mineiro, o médico Rodrigo Zogaib, do Santos, ficou encarregado pelos jogadores das duas equipes e examinou o atacante, que foi para o vestiário.

Dramas e problemas à parte, o placar seguiu igual ao do primeiro tempo, e os dois times saíram frustrados com a igualdade.

Fonte: Globo Esporte