Em jogo morno, Atlético-MG e Corinthians ficam no empate sem gols na estreia do campeonato

Em jogo morno, Atlético-MG e Corinthians ficam no empate sem gols na estreia do campeonato

Galo cria mais, mas Tardelli e Fernandinho desperdiçam; Timão, confuso do meio para a frente, tem chance no fim e sai reclamando de pênalti

Atlético-MG e Corinthians, os dois últimos campeões da Libertadores, tiveram uma estreia morna no Campeonato Brasileiro de 2014, com poucas emoções, nenhum gol e alguma polêmica no fim do jogo, no estádio Parque do Sabiá, em Uberlândia. O Galo, atual detentor do título continental e ainda na busca pelo bi, teve chances para marcar diante do Timão, campeão em 2012, mas deve a Victor o ponto conquistado. O goleiro fez uma defesa impressionante à queima-roupa em chute de Paolo Guerrero, já aos 44 do segundo tempo, em jogada que os corintianos reclamaram de pênalti no peruano - os atleticanos chiaram pela não marcação de impedimento de Romarinho, no início da jogada. Vale ressaltar que o Galo também reclamou de um pênalti não marcado, em chute de Ronaldinho que bateu no braço de Luciano, ainda no primeiro tempo.

A vitória corintiana seria injusta. O equilíbrio foi a tônica do jogo, com os dois adversários ousando pouco e tentando furar as defesas na base do toque de bola. O Atlético-MG teve duas excelentes chances no início do segundo tempo, com Diego Tardelli e Fernandinho. O Corinthians, muito confuso no setor ofensivo, criou menos ainda - o estreante Petros foi um dos poucos a tentar criar algo de diferente. A grande chance, porém, foi mesmo a de Guerrero, nascida num "chutão" de Cássio para Romarinho. O empate acabou sendo o resultado mais justo.

Na próxima rodada, o Corinthians recebe no domingo o Flamengo no Pacaembu - a nova arena do clube, em Itaquera, deve ser usada apenas na partida contra o Figueirense, dia 17 de maio. Já o Atlético-MG sai para encarar o Grêmio, em Porto Alegre, também no domingo.

O primeiro tempo em Uberlândia "foi em câmera lenta", como definiu o comentarista Caio Ribeiro. O calor e a grama mais fofa do estádio Parque do Sabiá pareciam prender as duas equipes. Os jogadores "trotavam" em campo, apostando mais no toque de bola do que nas jogadas em velocidade. Petros, fazendo sua estreia pelo Corinthians, era uma das raras exceções - e chegou a criar boas chances de gol. Mas a principal oportunidade foi do Galo, numa cobrança de falta com Ronaldinho Gaúcho, aos 38 - a bola bateu no cotovelo de Luciano, o último homem da barreira, e saiu para escanteio. Na opinião do comentarista Leonardo Gaciba, o árbitro Heber Roberto Lopes deveria ter marcado o pênalti.

Na etapa final, o Galo voltou melhor. Tardelli, Ronaldinho, Guilherme e Fernandinho tentavam alternar posições, para confundir a zaga corintiana. Tardelli e Fernandinho chegaram a sair na cara do gol em duas ocasiões claras para marcar, mas falharam. No Timão, Mano apostou na entrada de Paolo Guerrero no lugar de Luciano, para atuar mais fixo na área e liberar Romarinho - assim, conseguiu equilibrar novamente o jogo. Cansados, Fernandinho e Guilherme deram lugar a Marion e Neto Berola - era a esperança de Paulo Autuori de bater o Corinthians com jogadas em velocidade pelas pontas. Sem sucesso. As defesas prevaleceram dos dois lados.

Fonte: GloboEsporte