Em meio à crise, Luxemburgo e Gaúcho tiram foto sorrindo

Em meio à crise, Luxemburgo e Gaúcho tiram foto sorrindo

Técnico e atacante têm procurado demonstrar clima mais leve

Na última sexta-feira, um abraço durante evento com o presidente da Bolívia, Evo Morales. No domingo, pose sorridente para foto na concentração do Flamengo em Sucre. A imagem divulgada pelo clube ilustra o que tem sido notado nos últimos dias. Ronaldinho Gaúcho e Vanderlei Luxemburgo têm procurado demonstrar que o clima entre eles está mais ameno.

Os dois quase não se falam, mas no encontro com Evo atacante e treinador ficaram sentados lado a lado na cerimônia. Antes que ela começasse, trocaram algumas palavras e sorrisos com certo constrangimento. O cumprimento na parte final partiu de Vanderlei: um tapinha nas costas, um aperto de mão e um abraço apertado diante de cinegrafistas e fotógrafos.

No treino de reconhecimento do estádio Victor Agustín Ugarte, no domingo, em Potosí, Luxa trabalhou duro com os jogadores, cobrou, incentivou. Inclusive Ronaldinho. Quando o camisa 10 acertou uma conclusão, ouviu um elogio.

- Boa, Ronaldo!

A dupla conversou durante a atividade e, no fim, quando Renato e R10 ficaram no campo para treinar chutes a gol, o treinador os acompanhou e passou instruções. Nessa segunda-feira, num treino de finalização, o comportamento de Vanderlei com o jogador se repetiu.

A guerra fria entre eles chegou ao ápice em Londrina, na primeira parte da pré-temporada. O caso ?Sherlock Luxa? é o mais recente. O técnico cruzou com o jogador no elevador da concentração em horário suspeito e fora do andar dos atletas. Desconfiado, Vanderlei investigou se o atacante combinara de encontrar uma mulher no hotel. Ouviu seguranças e recorreu ao circuito interno de câmeras. O episódio chegou ao conhecimento da presidente Patricia Amorim via treinador. Ela pediu que o vice jurídico Rafael de Piro viajasse ao Paraná para esclarecer o assunto e observar as imagens.

Luxa pediu punição ao astro, mas ele foi somente advertido por andar pela concentração fora do toque de recolher (marcado para as 23h).

Na segunda semana do ano, o treinador enviou e-mails para a presidente queixando-se da falta de comprometimento do principal atleta do elenco ? R10 ficou dormindo no vestiário e perdeu os dois primeiros treinos matinais da temporada. Ele avisava que o jogador precisava mudar de postura ou sair do clube.

Só que a saída iminente é a de Vanderlei. Em processo de fritura, o técnico perdeu o cabo de guerra com Ronaldinho. Jogador e Assis, seu irmão e empresário, teriam a garantia de Patricia Amorim de que o técnico não continuará no cargo após o jogo contra o Potosí, nesta quarta-feira, pela Pré-Libertadores.

Em 2009...

Naquele ano, com personagens diferentes, o Flamengo viveu uma situação parecida. Durante um período de treinos na Granja Comary, em Teresópolis, o então vice de futebol Kleber Leite costurou para Cuca e Adriano darem uma entrevista coletiva juntos e dizerem que não havia problemas entre eles. O Imperador não deu um sorriso sequer, enquanto o treinador, chamado de traíra nos bastidores, disse que se dava bem com todos os atletas.

Pouco mais de um mês depois, Adriano pediu a palavra numa reunião para dizer que o grupo não aguentava mais Cuca, que foi demitido.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com