Espanhóis se irritam com "padrão Fifa" em logística para decisão

A equipe espanhola treinou no Engenhão na noite desta sexta

A Real Federação Espanhola está descontente com a rigidez da Fifa nos aspectos logísticos da final da Copa das Confederações, marcado para o domingo, no Maracanã, contra a Seleção Brasileira. Questões definidas pela entidade como trajeto, hospedagem e locais de treinamento, não agradaram os dirigentes espanhóis nos últimos dois dias.


Espanhóis se irritam com

O último ponto nesse contexto foi a marcação do treino de véspera da final para o campo anexo ao Estádio do Engenhão, o que desagradou a delegação da Espanha. A alegação da Fifa é de que o gramado já havia sido reconhecido para duelo com o Taiti, na primeira fase. A Federação realizou um apelo à Fifa para que permitisse a atividade no Maracanã, o que foi aceito.

Anteriormente, porém, a Federação Espanhola recebeu dois nãos. A intenção da comissão técnica liderada por Vicente del Bosque era voar de Fortaleza ao Rio de Janeiro ainda na noite da última quinta-feira, logo depois da semifinal contra a Itália, para amanhecer na cidade da decisão. Também não gostou de ficar hospedada na Barra da Tijuca, região distante em relação ao Maracanã ? com um trajeto pode superar uma hora do hotel ao estádio.

De acordo com o diário espanhol El País, o pedido da Federação havia sido protocolado junto à Fifa havia cinco dias, mas a entidade recusou sob a alegação de que não poderia alterar o programa previsto nem oferecer segurança. A Seleção Brasileira, em sua programação habitual, faz as viagens de uma sede a outra sempre na tarde seguinte às partidas.

As decepções junto à Fifa só fazem crescer, entre os espanhóis, a sensação de clima pesado durante a Copa das Confederações, ainda que as regras sejam iguais a todas as equipes. Na última quinta, por exemplo, a Espanha precisou superar a Itália que, em Fortaleza, parecia jogar em Roma ou Milão, tamanho o apoio das arquibancadas e das vaias aos atuais campeões do mundo.

Possíveis festas particulares entre alguns dos jogadores e mulheres brasileiras, noticiadas também por jornalistas brasileiros, acirraram os ânimos entre as lideranças da seleção espanhola. Eles negam os episódios.

Fonte: Terra, www.terra.com.br