Fabricante de SP nega ter assumido erro em doping de Cesar Cielo

Fabricante de SP nega ter assumido erro em doping de Cesar Cielo

A versão da farmácia contraria o discurso da diretora-adjunta de doping da CBDA, que disse que a empresa assumiu a falha.

A farmácia Anna Terra, de Santa Bárbara d"Oeste (SP), não só negou ter confirmado à CBDA que as cápsulas de cafeína consumidas por Cesar Cielo e os três nadadores pegos no antidoping estavam contaminadas como estuda processar a entidade.

A empresa, que não teve o nome divulgado pela confederação, irá estudar se entra com uma ação legal pedindo a reparação de danos.

Segundo o consultor do ISO 9001 Reginaldo Lante, autorizado pela proprietária Ana Tereza Cósimo de Souza a falar em nome da farmácia, o relatório diz que "a contaminação cruzada por suspensão de partículas é uma excepcionalidade, mas que não pode ser descartada. Sendo assim, é impossível dizer se houve contaminação".

A versão da farmácia contraria o discurso da diretora-adjunta de doping da CBDA, que disse que a empresa assumiu a falha. Sandra Soldan afirmou também que a contaminação aconteceu por problemas de higiene - resquícios de furosemida, substância proibida presente nos exames, teriam entrado em contato com a cafeína.

"As manipulações foram feitas em cabines separadas e isoladas. Os tabuleiros sempre são higienizados após o uso. E não usamos um tabuleiro para duas fórmulas no mesmo dia", disse Lante, para quem a contaminação só poderia ocorrer pelo ar.

O representante da farmácia estranhou a informação de que o material foi enviado ao Ladetec, laboratório carioca credenciado pela Wada, que confirmou a contaminação. Segundo ele, a família de Cielo havia dito que não tinha mais cápsulas.

Após localizar a Anna Terra, a reportagem tentou contato com os participantes do painel da CBDA e com o atleta, mas não teve resposta de nenhum deles.

Fonte: Folha.com