Técnico do Flu Abel Braga se preocupa com o fator Dedé antes da final: "É um absurdo"

Técnico do Flu Abel Braga se preocupa com o fator Dedé antes da final: "É um absurdo"

Além do Vasco, o Fluminense terá de superar outro grande obstáculo na luta pela conquista da Taça Guanabara de 2012

Além do Vasco, o Fluminense terá de superar outro grande obstáculo na luta pela conquista da Taça Guanabara de 2012. Destaque da semifinal diante do Flamengo, na qual conseguiu 16 desarmes e não cometeu falta alguma, Dedé já preocupa o técnico Abel Braga antes mesmo de a bola rolar. Ex-zagueiro, Abelão rasgou elogios ao adversário mais uma vez e apostou no jogador como integrante da Seleção Brasileira na Copa de 2014.

- Dedé é um absurdo. Com certeza será o zagueiro central da Seleção na próxima Copa. Não dá para acreditar em um jogador que fica seis ou sete vezes no mano a mano com o Vagner Love e ganha todas. Foram 16 desarmes e nenhuma falta. O momento dele é excepcional - resumiu o treinador tricolor, que fez questão também de elogiar o tricolor Anderson.

- Já tinha recebido informações positivas do PC Gusmão, que o comandou no Ceará e no Atlético-GO. Na pré-temporada eu já tinha dito para a diretoria que acertamos em cheio na contratação. É um jogador sério, rápido e que está começando a encontrar o melhor entrosamento com o Leandro Euzébio. Fiquei muito feliz pela atuação segura dos dois contra o Botafogo. A responsabilidade sempre recai sobre eles quando, na verdade, é de todo o time. Defendo porque fui zagueiro e sei bem como funciona.

Dedé e Anderson: amizade desde o Volta Redonda

Curiosamente, Dedé e Anderson são grandes amigos desde os tempos de Volta Redonda. Os dois defenderam a equipe da Cidade do Aço em 2007. O vascaíno era apenas uma promessa e o Tricolor já buscava seu espaço em uma equipe maior.

- Fico muito feliz por vê-lo nesse bom momento, não só no Vasco, mas também na Seleção. Fizemos uma amizade boa no Volta Redonda. Era uma época difícil, mas hoje, graças a Deus, os dois estão bem. O passado ajuda a crescer e serve como estímulo. Tenho certeza de que o Dedé ainda fará muito sucesso - disse Anderson.

No Voltaço, porém, o Mito de São Januário era um jogador discreto, segundo o jogador do Flu.

- Naquela época ele não chamava muita atenção. Era muito novo. Fomos campeões da Copa Rio de 2007 juntos, mas o Dedé quase não teve oportunidades. A zaga era formada por mim e pelo Alemão. Eu sempre falava para ele ter paciência que sua hora chegaria. Dedé é merecedor de tudo o que está acontecendo. Sempre trocamos a camisa quando nos enfrentamos. Torço muito por ele.

Fonte: Globo Esporte