Felipão detecta falta de opções no Palmeiras

Felipão detecta falta de opções no Palmeiras

Felipão acha que base do Palmeiras segue sem grandes opções

Eliminado da Copa São Paulo de Juniores de 2010 apenas na semifinal contra o Santos, o Palmeiras apresentou ao seu público um time competitivo e talentoso no setor ofensivo. Portanto, criou-se um sentimento de ânimo no Palestra Itália em relação ao futuro dos atletas até 18 anos. No entanto, o técnico Luiz Felipe Scolari joga um balde de água fria aos otimistas e não demonstra empolgação com as opções nas categorias de base do clube.

"As pessoas podem ficar bravas comigo, mas não há opções a serem aproveitadas nos times menores do Palmeiras", explica o treinador pentacampeão mundial, que preferiu, de forma imediata, apostar em contratações de nomes pouco atrativos, como Rivaldo, Luan, Tadeu e Dinei.

Da equipe da Copa São Paulo, somente o lateral esquerdo Gabriel Silva tem sido utilizado pela comissão técnica da equipe principal. Uma parte da torcida também gostaria de ver chances para o lateral direito Luís Felipe, o meia Ramos e o atacante Gilsinho. Felipão explica os seus motivos.

"Para se jogar o Campeonato Brasileiro, você precisa ter muito mais do que técnica", responde o técnico, que cita o habilidoso Ramos como exemplo. "Ele está machucado faz 114 dias. Treinou uma vez conosco e ficou mais 30 dias sem treinar", emenda.

Felipão cita que outros jogadores formados no Palmeiras estão sendo aproveitados neste momento. O técnico demonstra admiração principalmente pelo potencial do meia Patrik. Outro jovem que está nos planos do treinador é o atacante Vinícius.

Até o fim do ano, Felipão ainda solicitou à diretoria palmeirense a contratação de mais um atacante de velocidade - um ponta à moda antiga. Ele revela que encontra dificuldades para achar o atleta de sua preferência no cenário nacional. "Podemos até apelar a países vizinhos", confessa Scolari.

Fonte: Terra, www.terra.com.br