Piloto Felipe Massa anuncia que não continua na Ferrari em 2014

Piloto Felipe Massa anuncia que não continua na Ferrari em 2014

Após oito temporadas como titular, brasileiro deixa o time de Maranello. País pode ficar sem representantes na F-1 pela primeira vez desde 1970

No GP da Itália do último domingo, Felipe Massa completou 132 GPs pela Ferrari e alcançou o terceiro lugar na lista dos pilotos com mais corridas por uma mesma equipe, igualando a marca de Jacques Laffite (Ligier, de 1976 a 86), atrás apenas de Michael Schumacher (180 pela Ferrari entre 1996 e 2006) e David Coulthard (150 pela McLaren entre 1996 e 2004).

Dois dias depois, a notícia: sua história com a escuderia de Maranello tem data para terminar, dia 24 de novembro, diante de sua torcida, no GP do Brasil, que encerra a temporada 2013. Nesta terça-feira, a Ferrari liberou o piloto para anunciar, ele mesmo através de suas redes sociais, que não seguirá na equipe em 2014. A Ferrari confirma nesta quarta-feira que o finlandês Kimi Raikkonen, atualmente na Lotus, fará dupla com o espanhol Fernando Alonso.

- Não vou mais correr pela Ferrari a partir de 2014! Gostaria de agradecer pela amizade, vitórias e um lindo momento com a Ferrari. A ajuda da minha esposa, da minha família e de todos os meus fãs. Toda a ajuda dos meus patrocinadores! Vou com tudo para as últimas sete corridas como piloto da Ferrari. A partir de agora quero achar uma equipe que me dê um carro competitivo para conseguir mais vitórias e vencer um campeonato que é o meu sonho!! Um beijo a todos! - divulgou o piloto em suas redes sociais.

Em sua mensagem, Massa fez agradecimentos à equipe, à família e aos patrocinadores e reforçou que não desistiu do sonho de ser campeão mundial, título que teve nas mãos por alguns segundos em 2008, mas que acabou ficando com Lewis Hamilton, na época na McLaren, em uma épica corrida em Interlagos. Para continuar perseguindo seu sonho, o brasileiro terá agora que buscar um novo lar. Uma das opções é a própria Lotus, que precisará de um piloto experiente para comandar o time, em caso da saída do finlandês. Outra possibilidade seria a Sauber, que tem parceria técnica com a Ferrari no fornecimento de motor, e enfrenta dificuldades financeiras. Caso só encontre vagas em times menores, o brasileiro não descarta deixar a categoria.

E caso seus compatriotas Felipe Nasr e Luiz Razia não consigam vaga no próximo ano, o país começará uma temporada sem representantes pela primeira vez desde 1970, quando Emerson Fittipaldi interrompeu um jejum de 11 anos sem brasileiros, estreando com o campeonato em andamento.

Fonte: G1