Felipe se diz perseguido pelo Corinthians

Felipe se diz perseguido pelo Corinthians

Afastado do elenco, goleiro acredita estar sendo massacrado pela direção e revela dívida do clube

O goleiro Felipe quebrou o gelo após seu afastamento do elenco do Corinthians. Em nota oficial divulgada nesta tarde de quarta-feira, o ex-titular do Timão diz que está sendo perseguido no Parque São Jorge, saiu em defesa de seus empresários e culpou a diretoria do Corinthians pelo fracasso nas negociações com o Genoa-ITA.

Felipe revela no texto um novo motivo para a transfência ter sido cancelada, não sendo apenas a mudança na legislação italiana, reduzindo de dois para apenas um o número de atletas extracomunitários permitidos por cada equipe. Segundo ele, um bloqueio judicial, causado por dívidas do Alvinegro, impediu que o acordo fosse firmado antes da alteração nas normas da Itália. No dia 7 de julho, porém, uma outra nota divulgada pelos empresários do goleiro comunicava que a mudança para o Genoa não havia sido firmada devido apenas à alteração na legislação.

- Não fui responsável pela frustrada negociação do Genoa, aliás, esclareço que meus representantes sempre foram éticos e cumprindo as normas da FIFA colocaram os dois clubes em contato, sendo que pelo que sei, o contrato entre os clubes não foi assinado após a aceitação da proposta pelo Corinthians devido a um bloqueio judicial no meu certificado por conta de dívidas - escreveu.

O goleiro disparou também contra os dirigentes. Ele alega que vem sendo perseguido por "alguém muito poderoso". Este alguém pode ser o presidente Andrés Sanches, que nunca escondeu o descontentamento com o atleta e que gostaria de ver Dida com a camisa número 1. Na semana passada, o diretor de futebol Mário Gobbi Filho negou qualquer atrito com o goleiro.

- Entendo essa precipitação, pois sou perseguido por alguém muito poderoso aqui, que põe os seus interesses pessoais na frente do clube, com o qual tenho uma história maravilhosa, pois antes mesmo de fazer a documentação necessária soltou uma nota oficial colocando-me contra a torcida sem assumir que o clube estava negociando previamente - acrescentou.

- Não consigo entender o porquê disso comigo, porque estou treinando em separado do grupo, sem poder treinar com bola, pois vários jogadores passam por esses problemas na época de janela de transferência e ninguém é massacrado como estou sendo pelo clube que diz que em nota oficial que sou patrimônio e que só quer me valorizar, apesar de me excluir das competições e do grupo de atletas. Cito o caso recente do colega Armero que chegou a ir para a Itália e já está disputando o Brasileirão - emendou.

Felipe saiu em defesa de seus representantes. Na terça-feira, o Corinthians, também em comunicado oficial, disse que o goleiro estava sendo mal orientado por seus empresários. Eles cuidam da carreira do zagueiro Chicão.

Fonte: g1, www.g1.com.br