Ferrari aguarda melhora de Felipe Massa para definir seu futuro na F-1

Ferrari aguarda definição para saber se terá de colocar outro piloto em seu lugar na Fórmula 1

A Ferrari ainda vai aguardar uma definição do estado de Felipe Massa para saber se terá de colocar outro piloto em seu lugar para a próxima etapa do Mundial de F-1 ou, eventualmente, até o fim da temporada. Apesar de a maioria dos médicos envolvidos no caso dizer que ainda é cedo para fazer previsões de quando o brasileiro poderá voltar às pistas, Peter Veres, neurocirurgião que comandou a operação, disse ontem que há possibilidade de ele não correr mais neste ano.

"Diria que provavelmente ele ficará fora [do resto da temporada]", afirmou o médico do Hospital Militar, que, no entanto, desde o acidente vem sendo bem menos otimista do que Dino Altman, médico da família, e Gerard Saillant, da FIA.

Segundo Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari, que foi a Budapeste visitar Massa, a escuderia começaria a estudar o assunto ontem. "Mas não iremos nos apressar para tomar uma decisão", disse ele, que deixou claro que o lugar do brasileiro não está nem de perto ameaçado. "Nossa prioridade neste momento é levar o Felipe para casa. Ele é um membro da família Ferrari."

"Eu estou otimista, todos os sinais são positivos", afirmou. "Depois, veremos e pensaremos [no futuro], sem pressão. Só tomaremos uma decisão no momento adequado." Os nomes mais comentados para substituir Massa na Ferrari são os dos pilotos de teste Luca Badoer e Marc Gené. Um retorno do já aposentado Michael Schumacher também foi cogitado.

O diário espanhol "As" também especulou sobre a hipótese Fernando Alonso dirigir um dos carros da Ferrari no GP da Europa, já que a Renault está suspensa da prova depois de ter sido considerada negligente pela FIA no caso em que Alonso perdeu uma das rodas durante a corrida na Hungria.

Massa sofreu uma fratura no crânio e concussão cerebral após ser atingido no capacete por uma mola que se soltou do carro de Rubens Barrichello, no sábado, durante o treino classificatório para o GP da Hungria de F-1.

Saúde

Ontem, o pai de Felipe Massa, Titônio Massa, afirmou que o filho pode deixar a UTI do Hospital Militar de Budapeste e ser transferido para um quarto comum ainda nesta semana. "Ele já está desentubado, não está mais sedado. Lógico que ele dorme e acorda porque ainda tem muita medicação no seu corpo", afirmou.

"[Os médicos] Não estão mexendo no olho esquerdo dele porque está inchado em cima e embaixo, como se tivesse tomado um soco do Maguila, com dois enormes terçóis, vamos dizer assim. Eles estão evitando mexer até para ele não sentir nenhuma dor. O que a gente sabe pela tomografia é que não existe nada que afetou o olho dele", relatou.

Dino Altman, que também é diretor médico do GP Brasil de F-1, afirmou nesta segunda-feira que qualquer previsão feita agora sobre como ficará a visão do olho esquerdo do piloto é "pura especulação". Para ele, ainda não existe informação suficiente para dizer com segurança se a visão de Massa sofreu alguma avaria por conta do acidente.

"A fratura que ele teve no crânio atinge a cavidade ocular, e não o globo ocular. O globo pode ter sido traumatizado, mas [a fratura] não atingiu o globo ocular e nem o nervo óptico. Então qualquer consideração a respeito da visão dele é pura especulação, porque na verdade não temos nenhuma avaliação considerável até esse ponto", explicou o médico à rádio Jovem Pan.

"Ele responde com coerência às questões feitas. Ele tem um olho fechado por causa do edema, do trauma, e já faz algumas perguntas por iniciativa própria, o que é um sinal fantástico", disse o médico, que também afirmou que sua condição física geral "não teve nenhum comprometimento".

Altman ainda deu mais detalhes sobre a cirurgia pela qual o piloto foi submetida no sábado. "O trauma neurológico que o Felipe teve foi de leve a moderado, desde o início. A cirurgia foi simplesmente para puxar o osso que estava comprimindo o cérebro para fora. Foi simples e demorou pouco tempo", explicou.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br