Fifa promete compensar preços altos com bom serviço nas arenas da Copa

Em visita ao Maracanã promovida nesta segunda-feira pelo Comitê Organizador Local (COL), procedimentos de acesso da torcida e sobre os serviços

A Fifa entrou em campo nas arenas da Copa do Mundo. E junto ao seu padrão de qualidade vêm os preços salgados nas lanchonetes e até a cobrança do ingresso de um bebê de colo. A entidade promete amplificar a experiência do torcedor para que, mesmo que doa no bolso, a ida a uma partida do Mundial seja inesquecível.

Em visita ao Maracanã promovida nesta segunda-feira pelo Comitê Organizador Local (COL), procedimentos de acesso da torcida e sobre os serviços de entretenimento foram detalhados. A cobrança de ingressos em valor integral para crianças de colo e os preços de produtos das lanchonetes causaram espanto.

A cerveja está de volta. A latinha de Brahma sem álcool custará R$ 6; o copo de 473 ml de Brahma, R$ 10; e o copo de 473 ml de Budweiser, R$ 13. No ano passado, o copo de cerveja Brahma custou R$ 9 na Copa das Confederações. O refrigerante custa R$ 8 e a água, R$ 6. Para comer, o cheeseburger simples vai custar R$ 10 e o duplo, R$ 13. O cachorro quente duplo sai por R$ 10 e pacotes de salgados custam R$ 8. Na parte de fora do estádio, o espetinho de carne custará R$ 15.

Os preços são maiores em relação aos cobrados pelo consórcio Maracanã S/A. Nos jogos do Brasileiro, a água custa R$ 3. O refrigerante R$ 5, mesmo preço da cerveja sem álcool. O cachorro quente sai por R$ 6. O cheeseburguer vale R$ 8.

Chefe do Departamento de Marketing da FIFA no Brasil, Jay Neuhaus informou que foi feita uma pesquisa, levando em conta preços de eventos semelhantes, como as Copas passadas e o Rock in Rio.

? A gente faz um grande estudo de mercado, comparando a outros eventos, com as Copas de 2006 e 2010, e avalia junto com os patrocinadores também. Usamos Rock in Rio como exemplo, e temos preços comparáveis e até melhores ? garante o funcionário da FIFA.

Ele faz questão de ressaltar que a entidade não visa o lucro máximo nesses casos. O investimento no Maracanã erguerá 523 pontos de venda, média de uma estação para cada 110 torcedores.

? A Fifa tem uma pequena comissão em cima de um valor muito alto. Mas nosso pensamento é que o serviço de alimentação e bebida seja tão bom quanto o acesso aos banheiros, a gente não quer ganhar com isso, o importante é o torcedor ter uma boa experiência ? comenta.

As filas serão inevitáveis. A Fifa garante ter se arrependido de terceirizar o serviço na Copa das Confederações e contratou e treinou o seu pessoal.

? A gente fez um estudo depois da Confederações, e uma das coisas era internalizar a qualificação de pessoas, e não subcontratar empresas, buscando melhor atendimento possível ? explicou Neuhaus.

Mauro Correa, diretor da CSM Brasil, que opera o serviço de atendimento nas lanchonetes, explica que haverá sinalização, treinamento para funcionários e tecnologia, como uso de um tablet. Sobre os preços, ele faz uma ressalva sobre o volume servido.

? É quase o dobro do tamanho. Temos visto eventos com preços maiores. A ideia não é ter lucro astronômico, e sim oferecer serviço de qualidade ? reforçou Correia.

Vale ressaltar que esta Copa entrará para a história como o evento que vai gerar a maior renda da história da Fifa. Serão mais de U$ 4 bilhões graças aos acordos comerciais, vendas de produtos, ingressos e renda dos estádios, com bebidas e alimentação.

O chefe do Departamento de Marketing da FIFA no Brasil está otimista com a venda de cerveja.

? Vai ter jogo que vai vender uma cerveja por espectador ? espera Jay Neuhaus.

Fonte: Extra