Fim da espera! No banco, Pato deve estrear pelo Timão contra o Oeste

Atacante é relacionado pela primeira vez por Tite e é a grande atração neste domingo, às 17h, no Pacaembu. Time do interior vai de técnico novo

A hora de Pato está chegando. O torcedor do Corinthians que vai ao Pacaembu para ver o jogo deste domingo contra o Oeste, às 17h (horário de Brasília), terá olhares mais voltados para o banco de reservas do que para o próprio gramado.

O duelo válido pela quinta rodada do Campeonato Paulista poderia ser só mais um ?esquecido? na primeira fase do estadual. No entanto, deve marcar a tão esperada estreia de Alexandre Pato com a camisa do Corinthians.

Pato foi contratado por 15 milhões de euros (mais de R$ 40 milhões) e apresentado como reforço em 11 de janeiro. Pouco mais de 20 dias depois, foi liberado para ser relacionado pelo técnico Tite. Entre as duas datas, muito trabalho para recuperar o equilíbrio entre as duas pernas e afastar a desconfiança dele próprio, ainda traumatizado com as lesões recentes que lhe tiraram de combate. Quem convive com o atacante diz que Pato está muito confiante para estrear e fazer o que mais se espera dele: gols e grandes jogadas.

Em campo, Tite vai repetir a equipe que venceu o Mogi Mirim por 2 a 1, na quarta-feira, com Jorge Henrique, Guerrero e Emerson Sheik formando o ataque. A diferença é que a concorrência ganhou qualidade considerável. Se um dos três bobear, Pato estará ali, a poucos metros de distância, louco para estrear e buscar sua vaga entre os titulares. O técnico avisou que o critério será o mesmo de sempre: merecimento. Quem estiver melhor, joga.

Pato deve estrear diante de um time que tenta se encontrar no Paulistão. Apesar de ser o atual campeão brasileiro da Série C, o Oeste acabou de trocar de técnico: saiu Luiz Carlos Martins, entrou Roberto Cavalo. Isso porque a equipe do interior ganhou apenas um ponto em quatro jogos e está na zona de rebaixamento. O Timão tem sete e briga pelas primeiras posições.

A arbitragem da partida será de responsabilidade de Leandro Bizzio Marinho, auxiliado por Fabricio Porfirio de Moura e Claudenir Donizeti Gonçalves da Silva

Fonte: GloboEsporte.com