Fla protesta contra escolha de árbitro e faz insinuações

Flamengo reclamou muito após a derrota para o Avaí

A arbitragem do Campeonato Brasileiro é um tema que anda incomodando a todos no Flamengo. Depois de muitas reclamações após a partida diante do Avaí, a equipe rubro-negra agora publicou uma nota oficial onde reclama da escolha do árbitro Alicio Pena Júnior para a partida deste domingo, contra o Bahia, no Engenhão.

A diretoria achou "estranha" a mudança na escala já que, anteriormente, Alicio não havia sido sorteado para a partida. Além disso, ela fez insinuações e o gerente de futebol, Isaías Tinoco, declarou que o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, quer ser o "ditador da arbitragem".

Confira a íntegra da nota oficial:

"O problema com a arbitragem nos jogos do Flamengo neste ano está sendo frequente e mais uma vez quem comandará o jogo contra o Bahia, neste domingo, às 16h, no Engenhão, preocupa, e muito. O juiz da partida do rubro-negro foi alterado e não será mais o gaúcho Fabrício Neves Correa que apitará o duelo.

Segundo a CBF, o árbitro teria pedido dispensa da partida para realizar um tratamento dentário que não poderia ser adiado. Porém, alguns sites informaram que o motivo real para a troca seria o fato do árbitro gaúcho também estar escalado para apitar o confronto Bahia e América-MG, o que foi desmentido pela Comissão Nacional de Arbitragem. Ele foi substituído pelo mineiro Alicio Pena Júnior, o que revoltou o Departamento de Futebol do clube e os torcedores, que se manifestaram pela internet.

No termo de sessão pública, cancelamento e realização de novo sorteio, a CBF informa que a troca do árbitro foi realizada após a solicitação de dispensa de Fabrício Correa para o final de semana. No documento, pode se perceber outros casos, no mínimo estranho, de troca de arbitragem como a do jogo entre Atlético-PR x Palmeiras.

O árbitro Diego Lopes, sorteado para a partida, estava suspenso por 15 dias pela Federação Baiana e mesmo assim foi escalado para o jogo, mostrando que Sergio Correa realmente não está apurando direito os juízes que coloca nos sorteios. O documento mostra também que o segundo sorteio, que não teve conhecimento do Flamengo, foi feito pelo senhor Alberto Alves de Lima, identificado apenas como torcedor pelo documento da CBF.

Além do sorteio de Alício Pena Junior não ter sido público, como determina o estatuto do torcedor, o juiz não tem bom histórico de resultados quando apita os jogos do Flamengo, o que preocupa a todos, já que soma a este fato, os recentes erros de arbitragem ocorrido nas partidas do Mengão. Já foram nove partidas comandadas por Alício na carreira e apenas uma vitória do Rubro-negro, em 2007 contra o Paraná.

Ao todo, com ele em campo, os torcedores do Fla viram a equipe perder sete vezes e empatar apenas uma. Ao todo, Alício Pena Junior deu 23 cartões amarelos para os jogadores do Flamengo e expulsou dois atletas.

Chateado com o que vem acontecendo, o gerente de futebol do Flamengo, Isaías Tinoco, reclamou da presença do árbitro neste importante jogo, que pode colocar, se novamente não tiver erro de arbitragem, o time novamente na segunda colocação do Brasileiro e outra vez encostado no líder Corinthians.

"O estatuto do torcedor não foi respeitado. Nós fomos certificados da mudança apenas pela imprensa. Quando um sorteio é feito de uma forma que tem que ser feito novamente, no mínimo, a Comissão de Arbitragem deveria ter comunicado que teria um novo sorteio. Temos de questionar o Sergio Correa, ele se acha o dono da arbitragem no Brasil. Ele quer ser o ditador da arbitragem", disse Isaías Tinoco, para em seguida completar.

"A CBF deveria fazer como a Federação do Rio faz. O sorteio deveria ser feito de forma realmente pública, em uma rádio, ou na TV. Cito como exemplo o Jorge Rabelo, que trabalha com rigidez na Federação do Rio e torna público os sorteios. Como pode o Sergio Correa escalar um juiz que não tem condições de apitar? É dever dele saber a condição física do cara. Ele colocou no meu jogo, um juiz que tinha médico marcado. Teve outro jogo que ele escalou um árbitro que estava punido pela Federação Baiana. Ou seja, ele nem se quer apura para ver se o juiz pode apitar aquele jogo. Falta critério e investigação. Foi este mesmo Sergio Correa, que colocou um juiz despreparado e que estava suspenso para apitar o nosso jogo contra o Ceará pela Copa do Brasil. O resultado todos lembram, ele expulsou o Angelim em uma falta que o bandeira que marcou. Está tudo muito estranho", encerrou o gerente de futebol do Flamengo.

O diretor de futebol do Flamengo, Luiz Augusto Veloso, também considerou muito estranho o fato de Alicio Pena Junior ter sido escalado para o jogo do Flamengo, nesta altura do campeonato, já que na próxima partida, a equipe enfrentará o Corinthians, líder da competição.

"O Flamengo estranha esta mudança, as circunstâncias em que ela aconteceu. O bom senso indica que ele não deveria fazer parte dos jogos do Flamengo. Ele tem um histórico ruim, atuações sempre muito contestadas e o resultado do sorteio nos deixam preocupados. Sua indicação para um jogo do Flamengo, no atual campeonato, com este histórico, é complicada. Principalmente por ser um jogo que não se esgota nele mesmo, pois é véspera do jogo contra o líder do Brasileiro. A comissão de arbitragem foi imprudente ao fazer a substituição da maneira em que foi feita, envolvendo um árbitro como ele", lamentou Luiz Augusto Veloso.

Vale lembrar que neste Campeonato Brasileiro, o Flamengo, mesmo tendo um ataque de respeito, com direito ao craque da Seleção Brasileira, Ronaldinho Gaúcho, ainda não teve nenhum pênalti sequer marcado ao seu favor. Para piorar, os erros em seus jogos estão sendo comuns. No último, por exemplo, o Avaí marcou um gol, em que seu jogador estava a mais de dois metros em impedimento. Neste mesmo jogo, o árbitro anulou um gol legal do atacante Deivid."

Fonte: Terra, www.terra.com.br