Flamengo empata e se classifica para Libertadores: 1 a 1

Flamengo empata e se classifica para Libertadores: 1 a 1

Ronaldinho e Dedé travaram um duro duelo neste domingo

O Flamengo se assegurou para a próxima edição da Copa Libertadores da América, e ainda atrapalhou o rival Vasco na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Na tarde deste domingo, o time rubro-negro empatou por 1 a 1 com o arquirrival e garantiu a quarta colocação na competição nacional. Já o clube da Colina, mesmo sem vencer o torneio, deixou o estádio do Engenhão muito aplaudido pela torcida.

O posicionamento de três jogadores mais defensivos reforçou a marcação vascaína durante a primeira etapa. A característica mais comportada, aliado ao maior poder de posse de bola, fez o time de São Januário dominar o primeiro tempo. Controlando o ritmo de jogo, o clube alvinegro conseguiu abrir o placar, por intermédio de uma belíssima jogada de Nilton, a surpresa na escalação. O volante fez grande jogada pela ponta direita e cruzou na medida para Diego Souza, com categoria, tocar de cabeça para as redes.

A empolgação e a esperança do torcedor vascaíno, entretanto, não demorou a ser minada. Logo aos 10min, Ronaldinho lançou Deivid, que entrou na segunda etapa. O centroavante dominou, cortou para o meio e rolou para Renato Abreu empatar e definir o resultado que deixou o time de São Januário com o vice-campeonato brasileiro.

Primeiro tempo: Vasco sai na frente e se enche de esperança

Cristóvão Borges optou por um Vasco de marcação reforçada no meio para o clássico que poderia dar o título brasileiro diante do Flamengo. Nílton, Rômulo e Fellipe Bastos formaram o meio-campo pegador que se sairia melhor nos 45 minutos iniciais com ótimas atuações também de Diego Souza e Felipe.

Luxemburgo, com Deivid novamente em má fase, surpreendeu com a entrada de Negueba, o que fez de Ronaldinho o centroavante do time. A tática não surtiu efeito e, salvo em duas finalizações de longa distância, o Vasco dominou na frente e controlou todas as ações no meio.

Com 3min, Fierro experimentou de longe e assustou. Em seguida, o Vasco respondeu com belo passe de Felipe e finalização de trivela que Fagner colocou para fora. Aos 10min, o Fla de novo arriscou de longe, desta vez com Thiago Neves, e Fernando Prass só torceu.

Daí em diante, o Vasco definitivamente assumiu o controle e foi o dono do jogo no primeiro tempo. Aos 17min, pôde reclamar de pênalti cometido por Willians e não marcado em Diego Souza. Na arrancada do meia vascaíno, aos 17min, um puxão impediu que o arremate saísse mais forte. Felipe segurou com tranquilidade.

Como de praxe, os vascaínos atacavam pela direita e Diego Souza, posicionado às costas de Léo Moura, sempre procurava o segundo pau. De surpresa, Nílton recebeu de Fellipe Bastos, invadiu a área e centrou com perfeição para Diego, que definiu com estilo, de cabeça, aos 30min. A jogada cantada aumentou a esperança do Vasco. O Fla, ainda mais apagado depois do gol, só chegou em cabeçada de Willians, aos 42min. Prass agarrou.

Flamengo acaba com festa e sonho do Vasco com ex-corintianos:

A festa promovida pela torcida do Vasco, esperançosa pelo título, durou apenas 10min na segunda etapa. Ronaldinho, isolado no ataque durante o primeiro tempo, ganhou a companhia de Deivid e lançou o camisa 9 de maneira magistral. O atacante recebeu pela ponta esquerda, cortou para o meio e rolou para Renato Abreu, que, com tranquilidade, dominou para a perna esquerda e arrematou para o gol.

O gol do Flamengo esfriou a partida no Engenhão. Atento às notícias do Estádio do Pacaembu, o Vasco perdeu o controle total do setor de meio-campo e precisou recorrer a Bernardo. Com o camisa 31, entretanto, o time de São Januário não conseguiu reencontar a pressão da primeira etapa, e ainda sofreu por conta de um lance bruto. Jumar, depois de cometer falta, foi expulso.

Com o adversário com apenas 10 jogadores, o time do Flamengo esfriou ainda mais o confronto. Segurando a tentativa de pressão do Vasco para se assegurar na Libertadores, o clube comandado por Luxemburgo ainda criou a principal oportunidade da etapa complementar. Aos 38min, em contra-ataque, Ronaldinho exigiu grande defesa de Fernando Prass.

A partida ficou fria até os acréscimos, quando Renato Abreu acabou expulso. A partir de então, instalou-se uma confusão que atrasou e esquentou o duelo nos últimos instantes.

Fonte: Terra, www.terra.com.br