Flamengo ‘abre as portas’ para possível retorno do goleiro Bruno

Preso desde julho de 2010, goleiro ainda tem contrato com o Rubro-Negro

?A porta não está fechada?. Com essa frase o vice-jurídico do Flamengo, Rafael de Piro, comentou a possibilidade de o goleiro Bruno um dia voltar a defender o clube da Gávea. Na semana passada, o advogado do atleta, Rui Pimenta, deu declarações afirmando que o jogador se reapresentaria ao Rubro-Negro caso conseguisse um habeas corpus.


Flamengo ?abre as portas? para possível retorno do goleiro Bruno

Bruno está preso desde julho de 2010 na Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele é suspeito de ter participado do sequestro e do assassinato de Eliza Samudio, sua ex-amante.

Desde então, o contrato com o Flamengo foi suspenso, mas não rescindido. Com isso, se o jogador fosse solto, continuaria com seu vínculo ao Rubro-Negro, conforme explicou Rafael de Piro.

- O contrato está apenas suspenso e, em tese, pode ser reativado. A porta não está fechada. Se o contrato está suspenso ele pode, em tese, voltar.

No entanto, de acordo com o advogado flamenguista, o assunto em nenhum momento foi discutido pelos dirigentes. A presidente Patricia Amorim nunca escondeu o trauma pelo episódio, que ocorreu com seis meses de seu mandato.

- Não houve conversa com o Joel [Santana, treinador] ou a Patricia. Vamos esperar as coisas acontecer. É difícil falar em suposição, mas a prisão me parece de fato desnecessária do ponto de vista jurídico. Ele saindo estaremos diante de uma nova realidade e examinaremos para ver, com calma, o que fazer.

O advogado de Bruno aguarda que o pedido pelo habeas corpus seja julgado em três semanas. Se tiver êxito, prometeu apresentar o goleiro no dia seguinte ao clube carioca. Rafael de Piro, no entanto, adota cautela ao falar sobre o assunto.

- Temos que ver também, no caso de o habeas corpus ser concedido, quais condições serão impostas a ele. A ordem de habeas corpus às vezes é deferida, mas o acusado não pode deixar a comarca do crime ou dormir fora de casa. Pode ser que saia com algumas restrições e precisamos ver se seria possível conviver com as atividades dele no clube.

Fonte: O Dia Online