Flamengo bate Vasco com gol de Ronaldinho no fim

Flamengo bate Vasco com gol de Ronaldinho no fim

Ronaldinho garantiu o triunfo nos acréscimos e saiu de campo ovacionado pelos fãs rubro-negros

Um gol de pênalti aos 47min de Ronaldinho amenizou o clima tenso que ronda o Flamengo nas últimas semanas. Decisivo, o camisa 10 garantiu nos acréscimos a vitória por 2 a 1 no clássico contra o Vasco no Engenhão e assegurou a classificação rubro-negra para a semifinal da Taça Rio nesta sétima rodada, com uma rodada de antecipação.

Criticado e cobrado pela torcida rubro-negra, Ronaldinho garantiu o triunfo nos acréscimos e saiu de campo ovacionado pelos fãs rubro-negros depois do gol decisivo, após pênalti de Fernando Prass em Léo Moura. Antes, Deivid havia aberto o placar aos 15min do primeiro, mas Diego Souza empatara aos 4min da etapa final.

A vitória no clássico garantiu matematicamente a classificação do Flamengo, com 18 pontos ganhos no Grupo A - o Resende, que tem 12, poderia no máximo se igualar na pontuação caso vença os dois jogos que tem pela frente, mas seguiria atrás dos rubro-negros por ter menos vitórias. Já o Vasco terminou a rodada na segunda posição do Grupo B, com 11 pontos - foi superado pelo Bangu, que chegou a 12, e passou a ser pressionado pelo Fluminense, que alcançou os dez.

As duas equipes voltam a campo pelo Carioca no próximo domingo, às 16h (de Brasília), na última rodada da fase classificatória da Taça Rio. O Flamengo recebe o Americano no Engenhão para tentar definir a primeira posição do Grupo A, enquanto o Vasco vai a Moça Bonita encarar o Nova Iguaçu e lutar pela classificação na outra chave.

Antes, porém, os clubes têm compromisso pela última rodada da etapa de grupos da Libertadores. Já garantido nas oitavas, o Vasco vai ao Uruguai encarar o Nacional na quinta-feira, às 21h50; um pouco antes, o Flamengo tenta um milagre para se classificar diante do Lanús, no Engenhão - Olimpia

Perigoso, Flamengo se sobressai

Apesar da truculência que tomou conta do primeiro tempo no Engenhão, o Flamengo tinha os atacantes Vagner Love e Deivid em noite inspirada e conseguia as melhores oportunidades do clássico nos 45 minutos inicias e deu bastante trabalho a Fernando Prass, que foi testado logo aos 3min: Junior Cesar colocou a bola na área e Deivid, de cabeça, cabeceou na direção. A bola quicou no gramado e subiu, mas o goleiro vascaíno mostrou rápida reação e espalmou para fora.

As oportunidades mais perigosas do Flamengo, contudo, saíram a partir de uma jogada que deu bastante certo: Vagner Love fazia papel de pivô, atraía a marcação e Deivid se posicionava para aproveitar alguma rebatida. E foi justamente assim que a rede balançou pela primeira vez no Engenhão, aos 15min.

Willians fez bom passe na entrada da área, Love protegeu de Rodolfo como pôde e os dois caíram; o camisa 99, contudo, se esforçou para finalizar mesmo caído e Prass defendeu com os pés. O rebote caiu nos pés de Deivid, que, livre, apenas empurrou para o gol e colocou o Fla em vantagem.

Jogada parecida se repetiria aos 40min, com a bola novamente morrendo na rede de Prass. Love bateu cruzado, Prass ofereceu rebote e Deivid marcou. A arbitragem, porém, invalidou a jogada alegando posição irregular do camisa 9 flamenguista. O Vasco, por sua vez, só conseguiu assustar Felipe em dois chutes de fora da área: primeiro com Fellipe Batos, aos 21min, e depois com Éder Luís, aos 41min.

Diego Souza entra e esquenta o clássico

A vantagem flamenguista ao final do primeiro tempo fez com que Cristóvão Borges tirasse Diego Souza do banco e colocasse o meia na volta do intervalo, na vaga de William Barbio. E o camisa 10 entrou muito bem em campo, abrindo o jogo, incendiando o clássico e empatando a partida logo aos 4min - com grande ajuda da zaga rubro-negra, é verdade.

Alecsandro arriscou de fora da área, mas foi travado. Wellinton falhou na hora de afastar e foi encoberto; Diego Souza não titubeou e apareceu com agilidade para finalizar. A defesa rubro-negra errou novamente aos 7min, quando saiu jogando errado e o camisa 10 cruzmaltino quase virou.

Joel Santana agiu rapidamente, trocou Willians por Rômulo e viu resultados imediatos. Primeiro, Ronaldinho cobrou falta e colocou a bola na trave de Prass aos 16min. Três minutos depois, quem salvou o Vasco foi o lateral Fagner, que salvou em cima da linha uma cabeçada de Love.

Nem mesmo a parada técnica esfriou o clássico da sétima rodada da Taça Rio, e o jogo continuou emocionante. Fellipe Bastos, novamente de fora da área, levou muito perigo em um chute de fora da área que passou perto do ângulo de Felipe aos 24min.

Final dramático e conturbado

A partida caiu de produção após as substituições feitas por Joel e Cristóvão. Poucas chances de perigo real foram criadas. Apenas nos últimos minutos do segundo tempo que os rivais tiveram boas chances: o Fla, com uma cobrança de falta de Ronaldinho na barreira e depois com Léo Moura, sozinho, finalizando para fora em rápido contragolpe.

Já os vascaínos viram Felipe evitar um golaço de Allan, que deu um drible de carretilha dentro da área e bateu cruzado, mas o camisa 1 rubro-negro conseguiu um leve desvio para escanteio.

Léo Moura, porém, se redimiu aos 46min do segundo tempo. Ele recebeu lançamento de Kleberson, entrou na área e foi derrubado por Prass. Pênalti, que Ronaldinho cobrou aos 47min, converteu e garantiu a sofrida vitória rubro-negra.

Ao final da partida, alguns jogadores do Vasco se revoltaram com a arbitragem e partiram para cima do juiz Wagner dos Santos Rosa. A torcida vascaína também se irritou e chegou a atirar pedaços de cadeira das arquibancadas no campo.

Fonte: Terra