Flamengo estraga a "festa fabulosa"  e derrota o São Paulo

Flamengo estraga a "festa fabulosa" e derrota o São Paulo

A espera por Luis Fabiano acabou, mas o São Paulo esqueceu de jogar no primeiro tempo

A festa foi apenas vermelha e preta neste domingo. No dia em que Luis Fabiano reestreou pelo São Paulo, quem celebrou em um Morumbi lotado foi o Flamengo. Rogério Ceni e Felipe foram os destaques do jogo com defesas milagrosas, mas os cariocas levaram os pontos. Com gols de Thiago Neves e Renato Abreu, o Rubro-Negro venceu por 2 a 1, segurou o adversário na classificação e voltou a sonhar com o título. É a quarta derrota em casa do Tricolor paulista para clubes do Rio de Janeiro.

Os mais de 60 mil são-paulinos que queriam comemorar os 51 anos do Morumbi e o retorno de um de seus principais ídolos voltaram para a casa com o gosto amargo na boca. A equipe permanece com 46 pontos e perde grande chance de encostar nos adversários acima, Vasco e Corinthians, que empataram em São Januário. Quarta-feira, enfrenta o Cruzeiro, às 21h50m, em Sete Lagoas.

Já o Flamengo começa a embalar novamente. Com a segunda derrota consecutiva, o time espanta a crise que rondava a Gávea e sobe para os 44 pontos, seis abaixo do rival carioca. Domingo, tem o clássico contra o Fluminense, às 16h, no Engenhão.

A espera por Luis Fabiano acabou, mas o São Paulo esqueceu de jogar no primeiro tempo. Contra um Flamengo cauteloso, as principais peças ofensivas do Tricolor paulista sumiram diante da forte marcação carioca e ainda viram a defesa dar alguns sustos em dois belos passes de um discreto Ronaldinho.

Casemiro e Cícero pouco fizeram na função de carregar a bola até o ataque. A equipe sentiu falta de dois laterais mais objetivos. Wellington e Juan praticamente não chegaram à linha de fundo e embolaram as jogadas pelo meio. Pior para Lucas e Dagoberto que, sem espaço, esbarraram na muralha feita por Airton, Renato e Willians. Com 23 minutos, a pouco paciente torcida são-paulina já cobrava a entrada de Rivaldo.

Cansado de esperar, Luis Fabiano fez o São Paulo crescer quando recuou para procurar o jogo. Em boa atuação, o Fabuloso teve sua grande chance aos 25, quando recebeu de Wellington e chutou cruzado. A bola passou por Felipe, mas Alex Silva salvou antes que ela entrasse. Dez minutos mais tarde, o goleiro rubro-negro fez linda defesa em cobrança de falta de Rogério Ceni que desviou na barreira.

Apesar de ter privilegiado a defesa, o Flamengo também levou problemas para o ídolo tricolor. As duas grandes oportunidades saíram dos pés de Ronaldinho Gaúcho, pela esquerda. Na primeira, o craque deu belo passe para Deivid desviar com muito perigo à esquerda de Ceni. Nsegunda, aos 45, Thiago Neves cabeceou na pequena área, a bola bateu nas pernas do goleiro e sobrou para Rhodolfo afastar.

segundo tempo começou com duas exibições de gala dos goleiros. De um lado, aos quatro, Felipe espalmou um verdadeiro foguete disparado por Luis Fabiano ao girar sobre um marcador. Logo em seguida, foi a vez de Rogério Ceni fazer com os pés uma das defesas mais espetaculares do Brasileirão em cabeçada à cara a cara de Deivid. Felipe voltaria a aparecer na sequência ao desviar um cruzamento venenoso de Casemiro. No rebote, Alex Silva salvou os cariocas em finalização de Lucas.

A joia do São Paulo, porém, fez bobagem, aos nove. Depois de perder a bola no ataque, Lucas deixou a perna em Willians e, como já tinha cartão amarelo, foi expulso. O clima de euforia que tomou conta da torcida pelo bom início da etapa inicial se transformou em raiva quando o técnico Adilson Batista, chamado de ?burro?, tirou Luis Fabiano, aos 14, para a entrada do volante Carlinhos Paraíba.

O São Paulo sentiu a perda de um de seus principais jogadores e viu o Flamengo assumir o controle do jogo. Rogério Ceni fez ainda mais duas grandes defesas, em chute de Thiago Neves e cabeçada de Deivid. A cota de milagres, porém, chegou ao fim, aos 19 minutos. Junior Cesar cruzou com precisão da esquerda, a defesa olhou e Thiago Neves cabeceou sem chances para o goleiro adversário.

Perdido em campo, o Tricolor ganhou um alento, aos 24, com a expulsão de Willians depois de cometer falta em Carlinhos Paraíba. Adilson Batista, enfim, ouviu a torcida e colocou Rivaldo.

Mesmo sem uma grande atuação do pentacampeão, o time melhorou e chegou ao empate, aos 33. De fora da área, Dagoberto acertou uma bomba no ângulo direito de Felipe e fez um golaço para delírio da torcida.

O sonho de fechar o dia com uma virada acabou aos 39. Renato Abreu dominou na intermediária e chutou. A bola desviou em Carlinhos Paraíba, enganou Rogério Ceni e entrou mansamente no canto direito: 2 a 1. O São Paulo ainda tentou reagir, buscou pressionar, mas não conseguiu empatar.

Fonte: Globo.com