Flamengo-Fluminense marca duelo pessoal de Love e Fred

Tricolor é o goleador máximo do Campeonato Brasileiro, com 12 gols, um a mais que o rival Rubro-Negro. Clássico será neste domingo, no Engenhão

De um lado, Fred, autor de 12 gols no Brasileirão; do outro, Vagner Love, que já balançou as redes 11 vezes na competição. Flamengo e Fluminense fazem domingo, no Engenhão, o clássico dos artilheiros. Com a camisa tricolor, o atacante teve o gostinho de marcar pela primeira vez contra o Rubro-Negro na vitória por 1 a 0 no primeiro turno, centenário do Fla-Flu. O Artilheiro do Amor passou em branco nos três duelos contra o time de Abel Braga este ano.

Love fez gols em metade das partidas que disputou contra rivais cariocas. No total, foram 14 jogos, com seis vitórias, dois empates e seis derrotas. O Vasco é a vítima preferida, com cinco gols. Fluminense e Botafogo sofreram um cada.

Em 2010, Love disputou sete clássicos e fez quatro gols. Na atual temporada, foram três em sete jogos, todos sobre o Vasco. Contra o Fluminense, ele passou em branco nas duas partidas realizadas no Carioca, e uma pelo Brasileirão.

Diante do Atlético-MG, na última quarta-feira, o Artilheiro do Amor quebrou uma sequência de cinco jogos sem marcar ao fazer o primeiro gol da vitória por 2 a 1. Na comemoração, como de praxe, Vagner Love fez um coração com as mãos, sua marca registrada para fazer jus ao apelido e também em homenagem à noiva Lucilene.

- Clássico tem um negócio legal, a provocação das torcidas, dos amigos ? disse Love, em recente entrevista.

Agonia e alívio de Fred diante do Fla

Já Fred, em suas próprias palavras, confessou que vivia um drama até o último Fla-Flu. Com mais de três anos de Laranjeiras, o camisa 9 ainda não tinha marcado gol no Flamengo. Quis o destino que saísse logo em um jogo especial, marcado pelo centenário do clássico, no primeiro turno. Desde então, o artilheiro seguiu estufando as redes.

A cada tento, uma nova comemoração. Assim como o amigo e concorrente Vagner Love, o capitão tricolor gosta de mandar corações para a torcida na hora de festejar. Mas a dancinha ganhou sua preferência. A última, contra o Náutico, foi em homenagem a um amigo, que segundo Fred é o mais novo DJ do pedaço.

No ano passado, até ritmos como o forró e a lambada embalaram as comemorações do artilheiro. Se em 2011 ele bateu na trave ao marcar 22 gols e ficar na vice-artilharia do Brasileirão atrás de Borges, então atacante do Santos, agora não quer deixar a chance escapar novamente.

Em 17 jogos, Fred fez 12 gols e tem média de 0,7. Sua especialidade na hora de marcar é o pé direito, mas também usou a canhota, a cabeça e ainda converteu os três pênaltis que teve para bater. Suficiente, pelo menos por enquanto, para superar aquele que em sua opinião é um dos melhores atacantes do Brasil.

- O Love para mim é um dos melhores do país. Ele bate bem com a direita, com a esquerda, arrasta o zagueiro, dribla... É complicado parar - resumiu o atacante recentemente em entrevista à TV Globo.

Fred disse que as provocações pré-clássico são feitas internamente.

- Prefiro mandar uma mensagem pelo celular, falar que meu zagueiro vai dar porrada, não vai deixar ele fazer gol... (risos). A brincadeira é feita entre a gente mesmo.

Fonte: GloboEsporte.com