Fluminense bate o Atlético-GO: 1 a 0

Fluminense bate o Atlético-GO: 1 a 0

Gol de Marquinho no segundo tempo dá primeiro triunfo do técnico em quatro partidas no comando

Depois de três partidas e três derrotas, Muricy Ramalho pôde, finalmente, comemorar. Mesmo ainda sem apresentar um futebol convincente, o Fluminense venceu por 1 a 0 o time misto do Atlético-GO, neste sábado, no Maracanã. O resultado, em partida válida pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, representou o primeiro triunfo do técnico à frente do Tricolor.

A partir de agora, o Atlético-GO volta a se concentrar na semifinal da Copa do Brasil, competição pela qual enfrenta o Vitória, nesta quarta-feira, em Salvador. No próximo domingo, recebe o Santos, em Goiânia, pela terceira rodada do Brasileirão. No mesmo dia, o Fluminense enfrenta o Corinthians no Pacaembu.

Desde o início ficou claro que o Fluminense estava disposto a ir com tudo para vencer. Mas o que era disposição transformou-se em afobação. À beira do campo, Muricy Ramalho não demorou a se indispor com seus jogadores, principalmente com os zagueiros, que abusavam da displicência e proporcionavam oportunidades ao Atlético-GO. E a torcida tricolor também não mostrou paciência e começou a vaiar a equipe antes da metade do primeiro tempo.

Mas o Fluminense conseguia chegar ao ataque aproveitando os espaços deixados pela defesa adversárias. Conca mandou a bola no travessão aos seis minutos, e André Lima, de frente para o gol e dentro da área, chutou em cima do zagueiro Jairo após grande jogada do argentino e cruzamento de Marquinho, aos 29. Pouco antes, o time da casa balançou a rede com Leandro Euzébio, mas o árbitro Carlos Eugênio Simon anulou o lance, marcando falta de Rodriguinho no goleiro Edson.

Um dos destaques do vice-campeão Santo André no Campeonato Paulista, o atacante, em sua noite de estreia, incomodou muito a zaga do Atlético-GO, que deixou o técnico Geninho irritado. Mas o time goiano poderia ter aberto o placar se não tivesse se precipitado ao chegar mais perto da meta adversária. Após um contra-ataque puxado aos 43 minutos, Elias recebeu dentro da área e chutou rasteiro. Rafael defendeu com o pé direito, salvando o Flu.

O panorama não mudou após o intervalo. O Fluminense retornou a campo com maior domínio, apesar de cometer incríveis erros de passe, e voltou a levar perigo com o argentino Conca. Em menos de um minuto, o meia teve duas grandes oportunidades. Primeiro, acertou novamente o travessão numa cobrança de falta. Depois, arriscou de dentro da área, obrigando o goleiro Edson a fazer uma defesa com os pés.

Com os minutos passando, e a impaciência da torcida aumentando, o Fluminense passou a partir para cima do Atlético-GO de maneira intensa, mas desorganizada. No entanto, foi na base da velocidade que o Tricolor abriu o placar, aos 24 minutos. Mariano puxou o contra-ataque pela direita e, com um passe, deixou Marquinho em boas condições. O jogador chutou rasteiro, e a bola passou por baixo do goleiro Edson, entrando mansamente no gol.

Com a desvantagem, o Atlético passou a atuar de maneira mais ofensiva, deixando muitos espaços parao Fluminense, que teve a tarefa facilitada com a expulsão do zagueiro Welton Felipe, aos 30 minutos. Mas a falta de coordenação entre os setores continuavam a irritar Muricy Ramalho, que se agitava e gesticulava no banco de reservas.

Até o fim, o Fluminense seguiu pressionando o Atlético, mas continuou falando em passes decisivos e deixando sua defesa exposta. A equipe goianiense levou perigo nos contra-ataques, mas não teve a competência suficiente para alcançar o empate.

Fonte: Globo Esporte