Flu desencanta e vence: 3 a 0

Após um primeiro tempo sofrivel, time melhora e supera o Resende

O Fluminense, finalmente, mostrou a cara em 2009. Pelo menos, por 45 minutos. Com um segundo tempo de animar o torcedor, o time venceu o Resende por 3 a 0 neste sábado, no Maracanã, pela terceira rodada do Campeonato Carioca. Os gols foram marcados por Luiz Alberto, Maicon e Leandro Bomfim. Com a vitória, o Tricolor pula provisoriamente para o quarto lugar do Grupo A com quatro pontos. O Resende está logo abaixo, em quinto, também com quatro.

Na próxima quinta-feira, o Fluminense encara o Duque de Caxias, às 18h45min, no estádio Los Larios, em Xerém. Já o Resende enfrenta o Vasco, na quarta-feira, às 22h, em Volta Redonda, em partida que terá transmissão ao vivo da Rede Globo.

Fabinho é expulso ainda no primeiro tempo

O Fluminense começou o jogo em câmera lenta, sem criar muitas jogadas. Enquanto isso, Bruno Meneghel dava trabalho à defesa tricolor. A primeira boa chance foi do Resende. Beto cobrou falta para fora.

O Tricolor vivia de lampejos de Conca e Leandro Bomfim. O time não jogava bem. E em um deles chegou com perigo aos 21 minutos. Leandro Bomfim passou fácil pelo marcador, entrou na área e rolou para Conca. De frente para o gol, o meia chutou por cima do travessão. O goleiro Cléber ficou só olhando e torcendo para a bola ir para fora.

O lance animou a torcida e também o time. Aos 23 minutos, Leandro Amaral arriscou um chute cruzado com violência, mas a bola foi para fora. No minuto seguinte, Roger foi derrubado fora da área em um lance que muitos torcedores acharam pênalti. Mas o árbitro errou e deu apenas escanteio.

Aos 26 minutos, Fabinho recebeu o cartão amarelo por reclamação. No minuto seguinte, o volante foi bem expulso após receber o segundo cartão amarelo ao parar um contra-ataque do Resende. Os jogadores tricolores tentaram confundir o árbitro Luís Antônio Silva dos Santos alegando que a falta tinha sido feita pelo lateral Leandro, em uma atitude nada esportiva. E também reclamaram de um pênalti em uma bola que bateu na mão de Fabiano no início do lance. Um lance duvidoso, que o árbitro interpretou normal pelo fato de o braço estar colado ao corpo do jogador do Resende. Fabinho fazia a primeira partida como titular após ganhar a vaga de Diguinho.

Após a expulsão, curiosamente, o Fluminense melhorou. Mesmo com um jogador a menos, o Tricolor passou a pressionar. Talvez após perceber que o Resende não tinha coragem para se lançar ao ataque. O goleiro Cléber levou cartão amarelo por cera. Mas faltava pontaria. Primeiro com Conca, que mandou uma bomba por cima do travessão. Depois, com Roger, que também bateu com perigo para fora.

Aos 45 minutos, Leo perdeu um gol incrível. Após receber livre na área, o meia poderia tocar para Fabiano, que estava na marca do pênalti com o gol vazio pela frente. Mas preferiu chutar. O goleiro Fernando Henrique defendeu e salvou o tricolor.

Após o fim do primeiro tempo, o capitão Luiz Alberto foi falar com o árbitro Luís Antônio Silva dos Santos no meio de campo. E recebeu o cartão amarelo. O zagueiro saiu de campo inconformado.

- Fui falar com ele e ele já chegou falando que não queria nem me ouvir. Aío perguntei se não poderia falar nada e ele me deu o amarelo. Não sei qual é o pensamento desse árbitro. A arbitragem do Rio de Janeiro tem que melhorar muito. É difícil - disse Luiz Alberto.

Os tricolores deixaram o campo reclamando muito da atuação do árbitro, que não teve nenhum erro que gerasse tal revolta.

Tricolor finalmente mostra a cara

O Fluminense voltou com mais disposição para o segundo tempo. Leandro Amaral teve uma chance, mas o chute parou no zagueiro. Conca também arriscou, mas para fora. Aos 15 minutos, a torcida tricolor não perdoou o técnico René Simões, que tirou Leandro Amaral para colocar Tartá, e surgiu o grito de "burro".

Mas o Fluminense melhorou. O gol era questão de tempo. Mas antes disso mais uma reclamação dos tricolores contra a arbitragem. E desta vez com razão. O atacante Roger saiu de campo para atendimento médico. E voltou após ser liberado pelo auxiliar Jorge Luis Campos. Mas após o lance acabar, o árbitro chamou o jogador tricolor e aplicou o cartão amarelo dizendo que ele só poderia entrar com a sua autorização.

A situação tricolor melhorou aos 19 minutos. Bruno Leite foi expulso após falta violenta em Jaílton no meio-campo. Ele não tinha nem amarelo. E o merecido gol tricolor saiu pouco depois, aos 22 minutos. Após cruzamento, a bola sobrou na área para Luiz Alberto, que chutou no canto direito do goleiro Cléber. Foi o primeiro gol do Fluminense na temporada para a alegria dos torcedores.

O segundo veio no embalo. Dois minutos depois, Tartá fez um carnaval pela esquerda e tocou para Roger. O atacante chutou cruzado, o goleiro Cléber espalmou para o meio da área e Maicon, que havia entrado no lugar de Wellington Monteiro, só tocou para o fundo da rede.

Começou, então, a cair um temporal no Rio de Janeiro. E no meio de relâmpagos e trovoadas, o Fluminense ainda chegou ao terceiro gol. Falta na entrada da área do Resende. Leandro Bomfim cobrou com maestria. A bola entrou no ângulo direito do goleiro Cléber, que só ficou olhando. Um lindo gol. E o Fluminense, finalmente, "estreou" no Campeonato Carioca. E olha que Thiago Neves ainda está a caminho...

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com