Ganso se revolta e já não treina há dois dias no Santos

Paulo Henrique Ganso está revoltado com a postura de dirigentes santistas em sua negociação com o São Paulo.

Paulo Henrique Ganso está revoltado com a postura de dirigentes santistas em sua negociação com o São Paulo. O meia não gostou da última exigência feita pelo clube alvinegro - a amortização de metade da dívida de R$ 8 milhões que o Santos tem com o Grupo DIS pelo não repasse da venda de Wesley ao Werder Bremen, em 2010 - e já não aparece há dois dias para seguir com a sua recuperação no CT Rei Pelé.

Ganso possui lesão na coxa esquerda, divulgada pelo clube no último dia 31 especificamente como da transição da região miotendínea proximal do tendão reto femoral da região. Desde então, o Santos informou que o jogador passava por tratamento fisioterápico como parte da recuperação e evitava estimar um possível retorno.

Pessoas próximas suspeitam que Ganso, inclusive, já realize a sua recuperação em clínica particular em São Paulo, sob supervisão são-paulina.

A revolta de Ganso ocorreu pelos empecilhos impostos pelo Santos durante a negociação desde a exigência do pagamento à vista do montante de R$ 23,8 milhões pelos 45% dos direitos econômicos que o clube detém, a inclusão de percentual em venda futura e agora a exigência de renegociação de dívida.

Ganso aceitou a proposta salarial oferecida pelo São Paulo, preteriu o Grêmio mesmo com cifras superiores na negociação, e já afirmou a pessoas próximas que não deseja mais continuar no Santos. O jogador sequer respondeu a proposta de renovação contratual.

O meia, no entanto, tem dificuldades para ser atendido por dirigentes santistas e interceder por sua liberação e não conseguiu falar com o presidente Luis Álvaro Ribeiro, em Zurique para evento da Fifa, segunda informações da assessoria.

O Santos emitiu uma nota nesta quarta-feira para comunicando que chegou a um entendimento com o São Paulo e confirmando que a pendência para o acerto é um acordo com o Grupo DIS.

Fonte: Terra