Ganso vive tarde de ídolo logo na estreia e lida com pressão; saiba

Ganso entrou aos 11min do segundo tempo na vaga de Jadson.Sua estreia foi vista por 62.207 pessoas, um público recorde em 36 rodadas deste Brasileirão

O meia Paulo Henrique Ganso fez neste domingo seu primeiro jogo com a camisa do São Paulo. Mesmo com apenas 37 minutos em campo, ele vivenciou uma tarde de ídolo do Tricolor com direito a tietagem da torcida e público recorde do Brasileirão só para prestigiá-lo. Mas ele admite que tal apoio vem acompanhado de pressão, e se diz preparado para lidar com isso.

?Não digo cobrança, mas a responsabilidade sei que é grande. Assumi isso sem problema. Quero entrar em campo e retribuir mais de 60 mil torcedores, com futebol e alegria?, admitiu.


Ganso vive tarde de ídolo logo na estreia e lida com pressão por status

Ganso entrou aos 11min do segundo tempo na vaga de Jadson. Sua estreia foi vista por 62.207 pessoas, um público recorde em 36 rodadas deste Brasileirão. Segundo o Datafolha, o camisa 8 recebeu 26 bolas, deu 24 passes certos e apenas um errado.

Ganso mostrou necessitar de mais ritmo e sequência de jogos, mas deu passes preciosos e desferiu um chute perigoso ao gol de Felipe, que empolgou os torcedores.

?Ele correspondeu a nossa expectativa, ajudou na virada do jogo, pois estava 1 a 1 quando ele entrou. Três meses de inatividade, sem ritmo, precisa de sequência, e já tem importância enorme. Estreou bem, a camisa do São Paulo caiu bem nele, se identificou muito com o torcedor do São Paulo?, analisou o técnico Ney Franco após a partida.

E a identificação com o torcedor pôde ser vista durante o jogo deste domingo. Ganso foi o que teve o nome mais gritado no anúncio do placar eletrônico antes do início da partida. No primeiro tempo, a torcida já pediu a estreia do camisa 8 do Tricolor.

Após a vitória consumada, a torcida compareceu em um bom número para ver Ganso saindo do vestiário. Ele concedeu entrevista e foi escoltado em uma Parati por alguns seguranças, não antes sem ouvir vários pedidos por fotografias e autógrafos dos torcedores. Paciente, ele atendeu a maioria até ser retirado pelos profissionais que o acompanharam até o carro.

Fonte: UOL