Goiás derrota o Cruzeiro por 2 a 1

Com o resultado, os donos da casa foram a 14 pontos e subiram da nona para a sexta colocação

O Goiás aproveitou que o Cruzeiro está com a cabeça na final da Taça Libertadores da América ? contra o Estudiantes (ARG) ? e ganhou fácil por 1 a 0, neste domingo, no estádio Serra Dourada, em Goiânia. Com um gol de Felipe, artilheiro isolado do Campeonato Brasileiro, o Alviverde nem teve muito trabalho para construir a vitória.

Com o resultado, os donos da casa foram a 14 pontos e subiram da nona para a sexta colocação. O Cruzeiro, com 10, caiu de 11º para 13º lugar. Confira aqui como está a classificação.

Na próxima rodada, as duas equipes jogarão no domingo. A Raposa fará o clássico com o Atlético-MG em Belo Horizonte, enquanto o Goiás visitará o Sport no Recife. Antes, na quarta-feira, os mineiros irão à Argentina para começar a decidir o título da Libertadores. A grande final da América será no dia 15 de julho, no Mineirão. Até lá, a Raposa deve continuar atuando com o time reserva no Brasileirão.

Um jogo fácil para os donos da casa

Poupando praticamente todos os titulares ? em comparação com a partida diante do Grêmio, na última quinta-feira, em Porto Alegre, apenas o volante Fabinho estava no time que começou jogando com o Goiás ?, o Cruzeiro teve dificuldade para se achar na partida. E os goianos foram para cima.

Logo aos dois minutos, Bruno Meneghel recebeu na área entre dois zagueiros. O atacante se livrou da marcação com apenas um toque e finalizou para a defesa de Andrey. O goleiro cruzeirense foi o grande destaque do início do jogo. Aos 12, Felipe foi lançado, dominou, ajeitou e concluiu. Andrey, de novo, pegou. Aos 16, Bruno Meneghel arriscou de longe e o camisa 12 espalmou mais uma. Um minuto depois, outro chute de Felipe e outra defesa de Andrey.

De tanto insistir, o Goiás finalmente venceu a muralha. Em cobrança de falta, Felipe bateu forte e sem altura. A bola quicou na frente de Andrey, que não alcançou: 1 a 0. Como os dois jogadores que dividiam a artilharia com Felipe ? Diego Tardelli (Atlético-MG) e Pedrão (que está trocando o Barueri pelos Emirados Ábares) ? não marcaram na rodada, o camisa 11 do Goiás se isolou na artilharia, com sete gols. Confira a briga dos goleadores.

Segundo tempo morno

No segundo tempo, o técnico Adilson Batista trocou sua dupla de frente. Saíram Zé Carlos e Thiago Ribeiro e entraram Dudu e Rômulo. Mas não ajudou muito. A bola raramente chegava aos atacantes. Essa, aliás, foi a justificativa dos mineiros no intervalo para explicar a derrota momentânea. A marcação do Goiás funcionava bem e os meias do Cruzeiro tinham muita dificuldade para armar. Era tudo na base do chutão.

As chances continuaram sendo do lado verde. Felipe e Bruno Meneghel tiveram outras oportunidades de ampliar, mas falharam no último toque. Mas nem era preciso. O inofensivo Cruzeiro não deu mostra, durante o jogo inteiro, de que iria ameaçar o gol de Harlei. O fácil 1 a 0 resolveu as coisas.

Fonte: Terra, www.terra.com.br