Goleiros brilham, e Flamengo e Vasco empatam sem gols em jogo no Maracanã

Como já era de se esperar, Vasco e Flamengo fizeram um primeiro tempo recheado de entradas fortes, confusões envolvendo os jogadores e, só a partir do meio para frente, lances de perigo nos setores

Flamengo e Vasco até tentaram, mas não conseguiram balançar as redes neste domingo, quando os goleiros brilharam e foram protagonistas do "clássico dos milhões". Martín Silva teve participação importante, mas foi Paulo Victor que teve a vida mais complicada nesta tarde, sendo obrigado a fazer defesas impossíveis para segurar o placar de 0 a 0 e evitar um tropeço da equipe rubro-negra na partida de ida da semifinal do Campeonato Carioca.

As equipes voltam a se encontrar no próximo domingo (19), novamente no Maracanã, ainda sem horário confirmado. Como fez melhor campanha que o Vasco, o Flamengo pode empatar a partida de volta que avança à final do Campeonato Carioca. Para a equipe cruzmaltina, só a vitória interessa.

Como já era de se esperar, Vasco e Flamengo fizeram um primeiro tempo recheado de entradas fortes, confusões envolvendo os jogadores e, só a partir do meio para frente, lances de perigo nos setores ofensivos.

 Apesar da tensão, o árbitro controlou bem e distribuiu apenas dois amarelos na etapa inicial. O mais contestado foi para Jonas, que ergueu muito o pé e cometeu falta duríssima sobre Gilberto. Com a bola rolando, Julio dos Santos tentou para os alvinegros, mas sua cabeçada foi espalmada por Paulo Victor. Como resposta, Marcelo Cirino saiu na cara de Martín Silva e viu o uruguaio fazer ótima defesa após sua finalização.

Com as entradas de Dagoberto e Bernardo, o Vasco voltou melhor do intervalo e deu muito trabalho para o goleiro flamenguista. Bernardo, Rafael Silva e Gilberto tiveram oportunidade claras para marcar, mas Paulo Victor provou que vive um dos melhores momentos de sua carreira e, literalmente, fechou o gol. O Flamengo teve apenas duas oportunidades, não tão perigosas quanto o rival, mas bem interceptadas por Martín Silva, coroando a bela atuação dos arqueiros no Maracanã.

 Professor voltou para ficar

Vanderlei Luxemburgo voltou ao banco de reservas neste domingo. Suspenso por dois jogos por dizer que era necessário "dar porrada" na Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), o técnico não esteve em campo contra Fluminense e Nova Iguaçu e teve que delegar a responsabilidade para o ex-jogador Deivid, hoje auxiliar técnico. Especulado no São Paulo, Luxa agradeceu o interesse do clube paulista, mas garantiu a própria permanência no Flamengo.

Devagar, Jonas!

Jonas, conhecido popularmente como Schweinsteiger do Maranhão, exagerou na força logo no começo do jogo e por pouco não prejudicou o Flamengo. Aos 10min, o volante levantou muito a perna e cravou a chuteira no peito de Gilberto, sobrando até um arranhão no rosto do atacante rival. O lance lembrou muito a entrada de De Jong em Xabi Alonso na final da Copa do Mundo de 2010. A punição, inclusive, foi a mesma. Apenas um cartão amarelo. Preocupado com uma possível expulsão, Luxemburgo tirou Jonas de campo cinco minutos depois e consolou o jogador no banco de reservas. Na internet, diferente do árbitro, torcedores não perdoaram o lance.

 

Fonte: TERRA