Odone afirma: "Volta de Gaúcho não é pelo dinheiro"

Presidente do Grêmio diz que o craque busca retorno à Seleção Brasileira

A Copa do Mundo de 2014 será no Brasil. Em Porto Alegre, um renovado Estádio Beira-Rio sediará jogos. E o Grêmio constroi uma nova Arena para, também, oferecer-se como alternativa de treinos.

Faltam quatro anos. Até lá, Ronaldinho Gaúcho pretende conquistar o técnico Mano Menezes, garantindo espaço nas convocações.

Para manter-se sob observação mais próxima, Ronaldinho Gaúcho quer voltar ao país.

Pela ligação emocional - é torcedor gremista, foi revelado no clube, assim como o irmão Assis - quer voltar ao Olímpico, dez anos depois de uma tumultuada despedida. Em entrevista à Rádio Globo de São Paulo, o presidente tricolor Paulo Odone reiterou este pensamento: Ronaldinho quer jogar no Grêmio, e não voltará por dinheiro, mas sim pela reconciliação com a torcida, e pela Seleção Brasileira.

- As tratativas feitas com o Ronaldinho e com o Assis estão bem encaminhadas. Agora ficou de eles tratarem com o Milan. Em princípio está acertado o valor dos salários e os quatro anos de contrato. O Ronaldinho quer voltar a trabalhar no Brasil para voltar à Seleção Brasileira. Tenho conversado diretamente com o Assis sempre - disse Odone.

Com os quatro anos de contrato, Ronaldinho permaneceria no Grêmio até a Copa do Mundo. E o melhor, para Odone: motivado. Por isso, o presidente do Grêmio acredita que seu clube leva vantagem na concorrência.

- Parece que ele ficou muito animado com a proposta do Grêmio. Vamos ver. Eu soube dos interesses do Palmeiras e do Flamengo, mas não interferi. Ele nos disse que não vem por dinheiro ao Brasil, vem por objetivo. Por querer jogar no Grêmio, por morar em Porto Alegre.

Odone lembrou ainda que a negociação envolve todo um projeto de marketing e viabilização financeira:

- Não é só a contratação de um jogador. É também uma operação de marketing. Para que seja auto sustentável. É uma operação fora do ortodoxo, do comum. Temos de aliar vários parceiros para alinhar essa contratação.

Acertados Grêmio e Ronaldinho, falta o empresário Assis convencer o Milan a liberar o irmão a seis meses do final do contrato com os italianos.

- Ronaldinho tem contrato até junho com o Milan. E a partir de janeiro pode assinar pré-contrato. Como o Milan vai tratar essa liberação, isso é com o Assis. Ele não quer mais ficar na Europa, ele quer voltar para o Brasil, ele quer a Seleção Brasileira.

Fonte: Globo Esporte