Grêmio vence e conquista primeiro turno do Gaúcho

Grêmio vence e conquista primeiro turno do Gaúcho

A torcida do Grêmio teve de fazer festa para um dos jogadores que mais critica.

A torcida do Grêmio teve de fazer festa para um dos jogadores que mais critica. Com gol do volante Ferdinando, de falta aos 19min do primeiro tempo, o time tricolor venceu o Novo Hamburgo por 1 a 0 na final do primeiro turno e já está garantido na decisão do Estadual.

Se por um lado é criticado pela torcida, Ferdinando tem plenas confiança do técnico Silas. Homem de confiança do treinador desde os tempos de Avaí, o volante não perdeu o posto com a transferência de ambos para o Grêmio.

Apesar de não ter enfrentado o tradicional rival Internacional na decisão, o gremista poderá pelo menos contar uma vantagem sobre o adversário. Com a vitória, o time tricolor soma 46 jogos seguidos sem ser vencido em seus domínios (34 vitórias e 12 empates) igualando a marca colorada na década de 70.

E ainda teve o gosto de receber a taça das mãos do vice-presidente do Internacional, Fernando Carvalho, que dá nome ao troféu e teve de ver, de muito perto, a festa do arquirrival.

As características esperadas para um jogo no Olímpico eram de um Grêmio pressionando. Isso não ocorreu. Os dois times mostraram propostas de jogo diferentes das imaginadas. O time tricolor queria cadenciar a partida, enquanto o Novo Hamburgo propunha a aceleração. Foi o visitante que começou mais assanhado. Com as equipes atuando de maneiras distintas, tudo ficou truncado nos primeiros 20 minutos.

Nesse período, a bola esteve parada por muito tempo em escanteios, laterais e cobranças de faltas. O Grêmio chegou a marcar aos 10min, com Borges, de cabeça. Porém, sua posição era de impedimento e o gol foi anulado, quando Mário Fernandes, autor do cruzamento, já estava comemorando na pista atlética.

O Novo Hamburgo explorava o lado esquerdo do campo. Com os alas bem avançados e seus dois meias, conseguia dividir o Grêmio, dificultando a articulação das jogadas do adversário. Durante todo o primeiro tempo, o time de Silas só conseguiu chutar uma vez de dentro da área.

O gol gremista deve ter enchido o técnico gremista de orgulho. Recém chegado ao Olímpico, ele indicou a contratação de Ferdinando, seu homem de confiança no Avaí. As atuações irregulares levaram o volante a ser o principal alvo das vaias da torcida no início de ano. Ferdinando aguentou firme. Seu desabafo surgiu em forma de gol, aos 19min. Em cobrança de falta, o jogador tirou da barreira, em um arremate potente, acertando o canto inferior esquerdo de Juninho.

O Novo Hamburgo não esmoreceu. O Grêmio não assumiu o comando do confronto. Tudo seguiu equilibrado. Victor precisou trabalhar bastante nas bolas áreas. No chão, o goleiro espalmou tiro de longa distância de Márcio Hahn.

Borges, fora o gol anulado, pouco aparecia. O homem-gol da equipe tricolor estava esperando nova chance para marcar. Quando ela apareceu, ele chutou para fora e seu músculo da coxa direita distendeu. Lesionado, a equipe perdeu o centroavante, autor de 11 gols na temporada. No seu lugar entrou William.

Antes da ida ao vestiário, Gustavo Papo subiu alto, mais alto do que Maurício, tocando de cabeça próximo à trave. Os contornos não se modificaram no segundo tempo. Com Rodrigo Mendes em campo, o Novo Hamburgo seguia mais incisivo do que o Grêmio, levando Silas a tirar Jonas e colocar Maylson, recuando ainda mais o seu time.

Do pé de Rodrigo Mendes quase saiu o gol de empate. De longe, a bola foi desviada no meio do caminho, aos 12min. Victor conseguiu salvar com o pé. Na sequência da jogada, Gustavo caiu no chão protestando pênalti em dividida com um defensor gremista.

Mesmo atuando em casa, o Grêmio passou a jogar no erro do oponente. Em duas oportunidades, com Hugo e Maylson, o time ampliou em chutes potentes, mas que saíram.

Os sinais de cansaço começaram a aparecer no Novo Hamburgo, dando cada vez mais espaço para o Grêmio. O ímpeto da equipe da Região Metropolitana não arrefeceu. Gustavo, outra vez por cima, levou vantagem, mas Victor estava lá. Nem mesmo a iminente conquista aliviou a barra de Silas. Quanto tirou o meia Douglas e colocou o volante Adilson, outra vez ele precisou ouvir o coro de "burro, burro".

O Novo Hamburgo forçou até o último apito de Carlos Simon, mas não teve forças para igualar o resultado.

Fonte: Terra, www.terra.com.br