Hamilton vence, e Button chega na frente de Barrichello em Cingapura

Sebastian Vettel, da RBR, ficou na quarta posição, seguido por Jenson Button, da Brawn GP

Com um desempenho excepcional desde a largada, Lewis Hamilton venceu o GP de Cingapura, disputado no circuito de rua de Marina Bay. O inglês liderou quase toda a corrida e deixou Timo Glock, da Toyota, na segunda posição, mais de nove segundos atrás. Fernando Alonso, da Renault, completou o pódio, em uma corrida para tentar esquecer os escândalos em que a equipe francesa se meteu nas últimas semanas.

Sebastian Vettel, da RBR, ficou na quarta posição, seguido por Jenson Button, da Brawn GP. O líder do campeonato superou Rubens Barrichello na tática de pit stops e aumentou a vantagem sobre o brasileiro, que chegou em sexto, para 15 pontos com apenas três provas para o fim da temporada - Japão, Brasil e Emirados Árabes. Ele precisa tirar cinco pontos do companheiro de equipe por corrida.

Heikki Kovalainen, da McLaren, chegou na sétima posição. O finlandês não conseguiu se utilizar do Sistema de Recuperação de Energia Cinética (Kers) de forma eficiente durante a corrida e foi amplamente superado pelo companheiro de equipe, que venceu a prova. Robert Kubica, da BMW Sauber, completou a zona de pontuação em Cingapura, com o oitavo lugar.

A próxima corrida da temporada, a antepenúltima de 2009, será o GP do Japão, que será disputado no tradicional circuito de Suzuka, no dia 4 de outubro. A pista retorna à Fórmula 1 após duas temporadas com corridas em Fuji. Barrichello está 15 pontos atrás de Button e precisará urgentemente de um bom resultado. Além deles, apenas Sebastian Vettel ainda tem chances de título, ainda que muito remotas.

Barrichello e Button

Antes mesmo da largada, Rubens Barrichello ganhou uma posição em relação ao treino classificatório de sábado. O brasileiro tinha marcado o quinto tempo, mas perdeu cinco posições por causa da troca do câmbio e sairia em décimo. No entanto, Nick Heidfeld, da BMW Sauber, que era o sétimo, teve de trocar o câmbio e usar o nono motor da temporada. O alemão largou dos boxes e todos os que estavam atrás subiram no grid. Com isso, Jenson Button passou a ser o 11º colocado.

Na largada, Barrichello saiu muito bem e conseguiu ganhar duas posições, subindo para sétimo. Button também saiu bem e assumiu o décimo lugar. Na frente, Lewis Hamilton manteve a ponta com folga, seguido pelo alemão Nico Rosberg. Sebastian Vettel caiu para terceiro. Mark Webber, seu companheiro na RBR, ganhou duas posições ao ultrapassar Fernando Alonso e Timo Glock.

Lewis Hamilton mantinha a ponta com folga nas primeiras voltas, mesmo com um problema em seu Kers. Na quinta volta, o engenheiro do inglês mandou que o piloto reiniciasse o sistema apertando uma série de botões no volante de seu carro.

Mark Webber, que tinha ganho duas posições na primeira volta, cedeu ambas na sétima volta, para Glock e Alonso, por ordens da RBR, sua equipe. Ao mesmo tempo, o primeiro abandono: Romain Grosjean, da Renault, recolheu seu carro aos boxes, com problemas de freio. Na 12ª volta, o Kers de Hamilton volta a funcionar, quando o inglês avisou seu engenheiro pelo rádio de seu carro.

As posições na frente permaneciam inalteradas até a primeira rodada de pit stops. Sebastian Vettel foi o primeiro a parar, na 17ª volta, seguido por Nico Rosberg. O alemão da Williams fez uma boa parada, mas cruzou a linha branca na saída dos boxes e recebeu uma punição. Ele teria de fazer um drive through, uma passagem pelos pit lane.

Na 20ª volta foi a vez do primeiro pit stop de Rubens Barrichello, que conseguiu voltar na décima posição. Uma passagem depois, o safety car teve de ser acionado, após o acidente entre Adrian Sutil e Nick Heidfeld. O alemão da Force India rodou ao tentar passar Jaime Alguersuari, da STR, mas acelerou para tentar se manter na pista e acertou o compatriota da BMW Sauber.

Com a entrada do safety car, os outros pilotos completaram a primeira rodada de pit stops. O maior ganhador foi Jenson Button, que subiu da décima para a oitava posição. Barrichello tinha agora apenas Heikki Kovalainen entre ele e o rival inglês. Nos boxes, Alguersuari protagonizava um incidente semelhante ao de Felipe Massa em 2008. O espanhol saiu com a mangueira presa no carro, derrubou alguns mecânicos e perdeu muito tempo.

Na 26ª volta, o safety car saiu da pista e Hamilton manteve a ponta na relargada. Nico Rosberg ainda precisaria cumprir a punição e optou por tentar ficar na pista para ganhar algum tempo. Duas passagens depois, o alemão da Williams fez o drive through e voltou muito atrás, apenas na 14ª posição.

Sebastian Vettel se aproximou muito de Lewis Hamilton e reduziu a vantagem do inglês para meio segundo. O piloto da RBR, nesta briga, perdeu o espelho retrovisor direito, que voou do carro por causa das fortes ondulações da pista. Na 40ª volta, o alemão da RBR fez seu segundo pit stop, mas excedeu a velocidade limite nos boxes e foi punido com um drive through. Após cumprir, o piloto voltou ainda na zona de pontuação.

Mark Webber, com problemas nos freios, perdeu o carro e acertou a barreira de pneus na primeira curva. Contudo, o safety car não teve de entrar na pista. Hamilton fez sua segunda parada na 47ª volta e voltou com muita folga na frente.

Barrichello parou no mesmo momento e voltou na oitava posição. Jenson Button, seu rival na briga pelo título, tinha mais combustível por causa da tática inicial da corrida e pôde ficar mais tempo na pista. O inglês fez algumas voltas muito rápidas e, no momento de seu segundo pit stop, conseguiu voltar à frente do brasileiro.

Assim como seu companheiro, Vettel também tinha problemas nos freios e começou a ser pressionado por Jenson Button. O inglês reduziu a vantagem, mas acabou sofrendo do mesmo mal do alemão da RBR e a equipe pediu para que ele diminuísse o ritmo.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com