Ida de Adriano à favela e discurso de folga irrita Dorival Júnior

Ida de Adriano à favela e discurso de folga irrita Dorival Júnior

Adriano terá que explicar sua ausência à diretoria e comissão técnica do Flamengo.

A ausência de Adriano no treino da tarde da última segunda-feira foi a senha para um dia muito tumultuado no Flamengo após quase duas semanas de relativa paz com o Imperador. A ida do jogador à favela Vila Cruzeiro no horário da atividade programada para o CT Ninho do Urubu e o discurso de folga adotado pela assessoria pessoal do atacante dividiram a diretoria e irritaram o técnico Dorival Júnior.

Tudo começou por volta das 15h30, quando fisiologistas, médicos e preparadores aguardavam Adriano para mais uma sessão de treinamentos, conforme estabelecido em programação previamente informado ao Imperador. Com o passar do tempo e a confirmação da primeira falta do camisa 10, os rubro-negros ligaram o alerta para aquele que seria também o primeiro grande problema do jogador em seu retorno.

Enquanto a diretoria confirmava a ausência, a assessoria de imprensa pessoal do jogador dizia haver uma folga programada e que Adriano não teria cometido qualquer indisciplina. O fato irritou os comandantes do Flamengo, já que o discurso oficial do clube estava sendo questionado pelo "staff" do atleta.

Imediatamente, membros da diretoria contrários à contratação de Adriano fizeram contato com representantes do departamento de futebol e incendiaram ainda mais o clima. Enquanto alguns tentava defender o Imperador, outros detonavam seu comportamento e falavam que ele não era digno de nova chance com a camisa do Flamengo.

Alheio aos bastidores do clube, o técnico Dorival Júnior não se pronunciou, mas confidenciou a amigos e pessoas próximas seu desapontamento com a atitude de Adriano. Sempre muito cauteloso em seu discurso sobre um retorno do atleta, ele argumentava que não poderia admitir tal postura do jogador no grupo.

Como uma bola de neve, novos problemas foram surgindo e aumentando as polêmicas. Durante a noite, após a divulgação de que o jogador tinha passado parte do dia na favela da Vila Cruzeiro, na zona norte da cidade, havia sido flagrado com bebidas alcoólicas e ainda teria participado de uma acidente com seu carro, a paz que ainda restava deixou de existir.

A comprovação da indisciplina de Adriano e o fim da história de "folga para descansar" fizeram a diretoria definir o cumprimento de uma cláusula no contrato que adverte o atleta e o multa em seu salário. A divulgação oficial, no entanto, só deverá ocorrer após reunião com o jogador, que poderá relatar sua versão sobre o ocorrido durante o dia.

Ainda assim, mesmo com um "direito de resposta" a Adriano, membros da diretoria e da comissão técnica perderam a paciência com o jogador. Para muitos, o camisa 10 provou que não conseguirá aproveitar a nova chance dada pelo clube.

Fonte: UOL