Inter dá vexame, perde do Mazembe e sonho do bi vira fiasco

Inter dá vexame, perde do Mazembe e sonho do bi vira fiasco

Kabangu comemorou gol do time do Congo; Inter dá vexame e cai na estreia no Mundial

O que era improvável, para alguns impossível, aconteceu. O Internacional perdeu para o Mazembe, do Congo, por 2 a 0 nesta terça-feira, no Estádio Mohammad Bin Zayed, em Abu Dhabi (Emirados Árabes), e viu o sonho do bicampeonato no Mundial de Clubes se transformar em um vexame histórico.

Campeão da Libertadores e favorito absoluto antes de o jogo começar, o time do técnico Celso Roth abusou de perder chances e acabou eliminado graças a gols de Mulota Kabangu, aos 7min, e Dioko Kaluyituka, aos 40min do segundo tempo.

Com o triunfo, o time do Congo, país sem qualquer tradição no mapa do futebol mundial, se torna o primeiro fora da América do Sul e da Europa a disputar a final. Será no próximo sábado, contra o vencedor do duelo entre Inter de Milão e Seongnam, da Coreia do Sul, que se enfrentam nesta quarta. Também no sábado, o clube gaúcho disputa o terceiro lugar contra o perdedor da semifinal de amanhã.



O "nervosismo de estreia" não afetou o Inter pelo menos no início do jogo. O time colorado valorizava a posse de bola e chegava com perigo. Em dois minutos de bola rolando, Rafael Sobis e Wilson Matias tiveram chances, mas erraram o alvo. Já aos 10min, a equipe de Roth por muito pouco não abriu o placar. Alecsandro tabelou com D"Alessandro e cruzou na medida para Sobis, que chutou para grande defesa do excêntrico goleiro Kidiaba.

Mais preocupado em marcar (a exemplo das quartas de final, contra o Pachuca, o time abusou de faltas), o Mazembe assustou pela primeira vez apenas aos 12min em chute de longe de Kabangu, defendido por Renan em dois tempos. Nkulukuta também deu trabalho em jogadas pelo lado direito, mas o Inter continuou com mais volume. Aos 21min, Tinga desviou cruzamento de Nei e quase marcou de cabeça.



Na parte final da primeira etapa, porém, a equipe brasileira reduziu o ritmo e, com D"Alessandro apagado, pouco criava. Do outro lado, o Mazembe mostrava um ataque inoperante e não ameaçava Renan. Desta forma, um bonito voleio de Wilson Matias que passou perto do gol de Kidiaba foi o único lance que levantou os cerca de 6 mil colorados que foram ao Mohammed Bin Zayed até o intervalo.

Para piorar a situação, a defesa vermelha começou a etapa complementar insegura. Logo no primeiro minuto, Kaluyituka girou para cima da marcação e bateu para fora. Aos 7min, Kabangu dominou livre na área e bateu com categoria no canto esquerdo do goleiro para abrir o placar.

O Inter tentou não se abater após o surpreendente tento rival. Aos 15min, Rafael Sobis pegou sobra da zaga, mas novamente parou em Kidiaba. Demonstrando muito nervosismo no banco desde o começo do jogo, Roth mexeu duas vezes, trocando Tinga por Giuliano e Alecsandro por Leandro Damião.



A equipe brasileira se lançou para o ataque. Aos 19min, D"Alessandro cruzou e Sobis cabeceou para fora. Quando o Inter acertava o alvo, Kidiaba brilhava. Aos 25min, o goleiro fez excelente defesa após chute forte de Giuliano. Os colorados mostravam ansiedade e nervosismo. Após D"Alessandro perder mais uma grande oportunidade, o time do Congo quase ampliou: Kabangu cobrou falta e Renan espalmou para escanteio.

Roth deu sua última cartada, sacando Sobis e mandando Oscar a campo aos 30min. De nada adiantou. Depois de se segurar por mais dez minutos, Kaluyituka carregou pela esquerda em contragolpe, fez a finta na entrada da área e chutou no canto para confirmar um dos maiores feitos do futebol africano e o fracasso colorado.

Fonte: Terra, www.terra.com.br