Inter: dirigente recusa proposta da Ucrânia

Shaktar Donetsk queria investir alto, mas o Colorado preferiu fechar com clube português

Atendendo a um pedido dos empresários de Walter, o Inter recusou proposta mais vantajosa por Walter e aceitou negociá-lo com o Porto.

O Shaktar Donetsk queria investir alto, mas o Inter foi convencido a fazer o negócio com o clube português.

Na opinião dos representantes do atleta, ele dificilmente conseguiria se adaptar ao futebol ucraniano e a Kiev.

Todo o negócio foi tratado durante o final de semana. Irritados com as confusões de Walter, a diretoria decidiu prestar atenção às duas ofertas recebidas pelo atacante, principalmente depois que ele abandonou o treino de sexta-feira (25) pela manhã sem dar explicações a ninguém.

A versão divulgada pelo clube prevê seu retorno ao trabalho nesta terça-feira (29). Mas isso não deverá ocorrer.

Os dirigentes do Porto aguardam o atacante em Portugal para assinar o novo contrato, que deve ser de quatro ou cinco anos.

No primeiro ano, deve ser emprestado ao Portimonense, da primeira divisão, para se adaptar ao futebol europeu e se manter em atividade.

Sobis, o retorno

Walter sai, mas abre caminho para Rafael Sobis. O atacante está a um passo de ser anunciado. Ontem, inclusive, o jogador treinaria à tarde no Beira-Rio, mas o trabalho foi cancelado devido ao jogo do Brasil na Copa.

Falta apenas a remessa por parte do Al-Jazira de documentação liberando sua inscrição pelo Inter. A contratação não ocorrerá nos moldes previstos.

O Inter tentou comprar os direitos federativos para assinar um contrato longo com o atacante. Por isso, o diretor de futebol Giovanni Luigi viajou a Abu Dhabi na semana passada.

Depois de quase uma semana, o Al-Jazira não aceitou os R$ 11 milhões (cerca de 5 milhões euros) propostos.

Concordou apenas ceder Rafael Sobis por empréstimo. O atacante fica no Inter até julho do ano que vem e, após esse período, pode ser adquirido em definitivo.

Fonte: R7, www.r7.com