Joana Maranhão desiste de aposentadoria e quer topo do pódio no Rio 2016

Aos 26 anos, Joanna Maranhão surpreendeu ao anunciar no início deste ano que estava deixando a carreira de atleta.

Um ano após anunciar a sua aposentadoria, a nadadora Joana Maranhão voltou atrás da sua decisão. A atleta que chegou a relatar que nadaria só por diversão ou para não perder a forma parece que ganhou o gosto pelas competições novamente e relatou que está de olho nas olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016

- Eu estarei lá! E ainda tem Universíade e Mundial Militar no ano que vem, além do Pan. É um ano com muitas competições bacanas – contou, animada.

Aos 26 anos, Joanna Maranhão surpreendeu ao anunciar no início deste ano que estava deixando a carreira de atleta. A pernambucana quinta colocada em Atenas 2004, melhor resultado da natação feminina do país em Olimpíadas, ao lado de Piedade Coutinho, havia defendido o Brasil meses antes, no Mundial de Barcelona 2013, e ainda era uma das principais nadadoras da seleção.

Questões que vão além das piscinas, no entanto, pesaram para a decisão da nadadora. Em janeiro, ao anunciar sua despedida, explicou que não queria mais conviver naquele ambiente e fez críticas à forma como a preparação para os Jogos Olímpicos de 2016 estava sendo conduzida: “Eu estou vendo muito dinheiro envolvido, e as coisas não estão acontecendo. Não está tendo legado, e o esporte não está chegando para quem precisa mesmo”.

Apesar de ter voltado atrás em sua decisão de deixar a natação, a pernambucana reforça que segue pensando da mesma forma em relação às críticas feitas no início do ano. O prazer em praticar o esporte, porém, a levou de volta às piscinas.

- Meu posicionamento continua o mesmo. Eu só estou curtindo treinar e competir. Aonde isso vai me levar? Só o tempo vai dizer... O tempo que quis ficar afastada, eu fiquei. Quando senti vontade de retornar, retornei. Não tenho como dizer exatamente como as coisas vão acontecer, mas posso ter controle do que faço hoje para chegar na minha melhor forma física nas próximas competições e expandir as chances de um excelente resultado. E é isso o que me importa agora - explicou Joanna, que está treinando no clube Nikita, no Recife.

Durante o tempo em que esteve sem competir, Joanna sempre procurou se manter em forma para, principalmente, cumprir com seus compromissos com a faculdade. No meio do ano, entretanto, os treinos começaram a ficar mais constantes. Os Jogos Universitários, realizados no fim do mês passado, em Aracaju, eram o motivo principal até então. Mas Joanna acabou recuperando o prazer em nadar competitivamente de novo. Os resultados obtidos na competição universitária deram mais certeza de que sua relação com a piscina ainda estava longe de chegar ao fim. Foram quatro ouros nas provas individuais (200m, 400m medley, 100m borboleta e 200m costas) e mais três pratas nos revezamentos. As próximas metas também já estão traçadas.

- Estou com os objetivos bem definidos. Coloquei em um caderno. As coisas vão acontecer naturalmente. No final do ano, vou ao Open. Infelizmente, só terei índice para a prova dos 200m medley. Os 200m borboleta e os 400m medley vou nadar em observação, mas vou fazer o melhor dessas oportunidades - garantiu.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Globo Esporte