Jogador do Caiçara não precisava cumprir suspensão em jogo decisivo

O atleta tinha dois cartões amarelos e não três

Image title

Ao contrário do que se pensava, a diretoria do Caiçara não errou ao relacionar o volante Ribeiro para o confronto contra o River-PI, pela semifinal do returno do Campeonato Piauiense de 2015, no último dia 28 de maio. O atleta não precisaria cumprir suspensão porque tinha dois cartões amarelos, e não três.

Cinco minutos antes da partida, o elenco e a comissão técnica do Leão foram informados no vestiário de que Ribeiro não poderia atuar por conta do acúmulo dos cartões. O time precisou então improvisar, e foi derrotado pelo River pelo placar de 3 a 0.

As súmulas disponibilizadas no site da Federação de Futebol do Piauí demonstram, no entanto, que o atleta completou a série de três cartões ainda na segunda rodada do returno, quando o Caiçara empatou com o Piauí em 1 a 1 no estádio Deusdeth de Melo, em Campo Maior, no dia 06 de maio. Na ocasião, Ribeiro foi advertido aos 11 minutos da etapa complementar do jogo, por calçar o adversário.

Com isso, Ribeiro deveria cumprir suspensão na partida seguinte, entre 4 de Julho e Caiçara, no estádio Ytacoatiara, em Piripiri, pela terceira rodada, no dia 09 de maio. E de fato o atleta não foi relacionado para o jogo. Depois de cumprir a suspensão, Ribeiro voltou ao elenco e foi advertido com cartões amarelos nas duas partidas seguintes do Leão - as duas últimas da fase classificatória.

Na quarta rodada (Caiçara 1 x 1 Parnahyba, em Campo Maior), Ribeiro levou amarelo aos três minutos do primeiro tempo, por "atitude incoveniente". Depois, na vitória do Caiçara sobre o Flamengo-PI por 1 a 0 no Albertão na quinta rodada, o volante recebeu amarelo aos 10 do segundo tempo por retardar a colocação da bola em jogo. Ou seja, o jogador somava dois cartões, e não três, quando do confronto contra o River na semifinal do returno.

Diante disso, a diretoria do Caiçara alega ter sido levada ao erro por uma pessoa que compareceu ao vestiário e apresentou documentos que mostrariam que Ribeiro tinha três cartões acumulados. O clube acusa um cronista esportivo identificado como Francisco Loiola de Pedrosa por ter levado a informação aos jogadores e ao técnico Everton Chulipa, minutos antes do jogo contra o Galo. Segundo a assessoria do Caiçara, um vídeo comprova a presença do referido cronista no vestiário, mostrando os documentos que alertariam sobre a suposta série de cartões.

Através de seu diretor de registro e tecnologia, Anderson Sousa, a Federação de Futebol do Piauí ressaltou que é de inteira responsabilidade dos clubes o controle da contagem dos cartões amarelos e vermelhos. Esta determinação está prevista no artigo 23 do regulamento do Campeonato Piauiense. O sistema informatizado de súmulas da Federação confirma que Ribeiro possuía não três, mas dois cartões amarelos.

Ou seja, a diretoria cometeu um erro, mas não o erro que se pensava. O equívoco dos dirigentes do Caiçara foi não ter buscado a confirmação, junto à FFP, da informação recebida no vestiário. Tentamos contato com o presidente do Caiçara, Francisco Ispo, e com o cronista Francisco Loiola, mas não obtivemos êxito.


Repórter: Dowglas Lima

Fonte: Dowglas Lima