Santos rebate declarações de Juvenal Juvêncio

Santos rebate declarações de Juvenal Juvêncio

Jogadores criticam postura do São Paulo, que ironizou o time após primeiro jogo

Felizes com a vitória por 3 a 0 sobre o São Paulo e a consequente classificação à final do Campeonato Paulista, os jogadores do Santos deixaram o gramado da Vila Belmiro, neste domingo (18), com um sentimento de dever cumprido. Isso porque, para os santistas, o presidente tricolor, Juvenal Juvêncio, havia faltado com respeito ao Peixe quando analisou o clássico do último domingo (11), no Morumbi.

- Eles estavam apavorados e quase desceram a Serra.

Revoltado com as declarações do presidente do São Paulo, o lateral-esquerdo Léo foi o mais exaltado no discurso contra o cartola do time do Morumbi.

- O São Paulo falou demais. O Santos é grande, muito grande, e merece respeito. Faltou respeito deles. Falaram muita coisa durante a semana também, que o Santos tremeria e blá blá blá. Está aí: não trememos. O Santos chegou com méritos, jogando futebol e respeitando o São Paulo.

O camisa 3 ainda repudiou a declaração de Juvenal.

- A gente lamenta por um comandante, presidente de um clube, falar que o Santos é pequeno, que a gente desceria para a Baixada.

O zagueiro Edu Dracena foi outro a comentar as declarações do dirigente tricolor.

- Ele falou muito, só que tirando 20 ou 30 minutos do clássico no Morumbi, o Santos foi superior o tempo todo. Hoje, fomos superiores ao São Paulo durante os 90 minutos. O Juvenal fala o que quer, e a gente não tem que dar resposta a ele. É dentro de campo que se mostra quem é melhor. Quem morre na véspera é peru.

Mais calmo, o presidente santista Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro procurou minimizar os comentários do mandatário são-paulino.

- O Juvenal é um cavalheiro, muito educado, que nos recebeu fidalgamente no Morumbi. O que aconteceu foi um escorregão, que as pessoas cometem. É uma situação que acontece em uma derrota em que, de repente, pela pressão do momento, há esse tipo de problema. Não disse nada porque achei que não deveria. Achei que os meninos deveriam responder no gramado. E hoje, durante os 90 minutos, a resposta ficou enfatizada.

Fonte: R7, www.r7.com