Juiz de clássico relata ofensas de técnico Abel do Fluminense

Juiz de clássico relata ofensas de técnico Abel do Fluminense

Árbitro relata ofensas de Abel na súmula. Rafael Moura não é citado

O árbitro Felipe Gomes da Silva detalhou na súmula do Fla-Flu as ofensas de Abel Braga, expulso no fim do segundo tempo. Segundo o juiz, o treinador gritou palavrões várias vezes e disse que Felipe "estava com a camisa vermelha e preta por baixo". Rafael Moura, que partiu para cima do juiz logo depois da expulsão de Souza, não é citado na súmula. Vale destacar que o árbitro revidou com um empurrão contra o atacante.

Leandro Euzébio, também envolvido na confusão, teve seu nome registrado em razão do cartão amarelo recebido aos 39 minutos da etapa final, por reclamação. A atitude agressiva do defensor no fim do confronto, entretanto, não foi descrita.

Confira abaixo o relato na íntegra:

"Expulsei do banco de reservas, aos 45 minutos do segundo tempo, o técnico do Fluminense F.C., Sr. Abel Carlos da Silva Braga, após ser chamado pelo quatro árbitro, Sr. Pathrice Wallace Corrêa Maia, este relatou-me ter sido ofendido com as seguintes palavras: "Não vou para a área técnica não, seu safado, filho da p..., vai para o c..., seu ladrão". Estas ofensas ocorreram no momento em que o quarto árbitro pediu que o técnico em questão retornasse à área técnica, pois o mesmo estava fora dela questionando uma decisão da arbitragem. Por tal motivo foi expulso e após a expulsão ainda permaneceu ofendendo ao quatro árbitro, conforme este me relatou: "Você é um safado, seu ladrão, eu não vou sair, quero ver me tirar". Foi chamado o policiamento para sua retirada, mas o mesmo continuou nos arredores do campo. Ao término da partida o referido técnico invadiu o campo em direção ao quarteto de arbitragem e dirigiu-se a mim com o dedo em riste. Proferindo as seguintes palavras: Safado, sem vergonha, tira a camisa vermelha e preta que está por baixo, filho da p..."

"Expulsei diretamente, aos 47 minutos do segundo tempo, o Sr Williamis de Souza Silva (nº 21 do Fluminense F. C.) por, após ser driblado, golpear propositalmente com o antebraço o rosto do seu adversário (Sr. Dario Botinelli) quando a bola já não estava mais em sua disputa. O lance ocorreu no círculo central. O atleta atingido não precisou de atendimento médico e continuou normalmente no jogo".

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com