Juiz manda soltar presos por invadir CT do Corinthians: "Queriam atenção"

Gilberto Azevedo Morais Costa rejeita denúncias do Ministério Público e diz que torcedores apenas quiseram "que jogadores honrassem os seus salários"

Os torcedores corintianos Tiago Aurelio dos Santos Ferreira, Gabriel Monteiro de Campos e Tarcísio Baselli Diniz, presos por participarem da invasão ao CT Joaquim Grava, no dia 1º de fevereiro, foram colocados em liberdade nesta segunda-feira. O juiz Gilberto Azevedo Morais Costa, da 17ª Vara do Fórum Criminal da Barra Funda, rejeitou a denúncia do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) contra os três afirmando que eles quiseram apenas se manifestar. Com isso, foi expedido o alvará de soltura. A medida também beneficia Fernando Wilson de Carvalho, conhecido como Suíça, que estava foragido.


Juiz manda soltar corintianos presos:

Em seu despacho, o juiz afirmou que os torcedores apenas manifestaram seu descontentamento com a má fase da equipe:

- Em suma, tudo não passou de um ato (nada abonador) de revolta dos torcedores. Fiéis que são ? e disso a própria equipe se vangloria ?, queriam apenas chamar a atenção: fazer com que os jogadores honrassem os salários que ganham; mostrando um futebol verdadeiramente brasileiro. Isto posto, com fundamento no artigo 395, III, do CPP, rejeito a denúncia. Expeçam-se alvarás de soltura clausulados e contramandado de prisão - escreveu o juiz no despacho.

Ainda em sua decisão, o juiz escreveu que a denúncia não deixa clara a conduta dos três que estavam presos.

- Na espécie, a inicial também não descreve no que consistiu a participação dos réus. Lá se vê que eles teriam comandado, mas não se especificou no que consistiu esse comando. Aliás, não ficou claro se se tratava de instigação ou induzimento.

O Ministério Público ainda pode recorrer da decisão. As denúncias rejeitadas foram feitas com base nos seguintes artigos do Código Penal: 288 (associarem-se três ou mais pessoas para o fim específico de cometer crimes), 146 (constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça) e 163 (destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia).

Os três corintianos foram presos no final de fevereiro em buscas da "Operação Hooligans", do Gaeco. Além dos três, um outro corintiano foi detido por porte ilegal de arma, mas já havia sido liberado.

Tiago Aurelio dos Santos Ferreira, solto nesta segunda, foi um dos 12 alvinegros que ficaram sete meses presos em Oruro, na Bolívia, por conta da morte do garoto Kevin Espada durante o jogo entre San Jose e Corinthians, na Libertadores de 2013.

Fonte: GloboEsporte