Juninho inicia conversa com o Vasco, mas ainda considera aposentadoria

Jogador rejeita sondagens de Atlético-MG e São Paulo e deixa claro aos dirigentes que não tem condições físcas de disputar todas as partidas

De forma quase incógnita, Juninho Pernambucano desembarcou no Rio de Janeiro no início desta semana. No fim da noite de terça-feira, teve sua primeira reunião com Roberto Dinamite e Ricardo Gomes, respectivamente presidente e diretor de futebol do Vasco, para tratar da possível volta. Como a prioridade dos dirigentes era a contratação do técnico substituto de Paulo Autuori, a conversa ficou de ser retomada em breve. Enquanto isso, o ídolo decide se embarca em sua terceira e última passagem pelo clube ou encerra a carreira.

Desde que Juninho anunciou a rescisão de contrato com o New York RB, dos Estados Unidos, Atlético-MG e São Paulo fizeram sondagens a seu empresário, José Fuentes. Mas o meia foi claro: ou defende o Vasco, provavelmente com um contrato até o fim do ano, ou se aposenta. A tendência é que até o fim desta semana a decisão esteja tomada, após mais uma rodada de conversas com os principais dirigentes cruz-maltinos.

Embora ainda não tenha decidido seu futuro, desde que ficou sem clube passou a estudar a possível temporada que terá pela frente com o Vasco. Assim, considerando o fato de completar 39 anos em janeiro, o meia tem a certeza de que não teria condições físicas de estar em todos os jogos, entre Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil. Por isso, pretende deixar claro que, caso seja firmado um novo compromisso, poderá ajudar da melhor forma possível apenas se houver um planejamento em conjunto com a comissão técnica para que ele dispute alguns jogos e seja poupado em outros.

Juninho, seu empresário e os dirigentes cruz-maltinos devem estudar dois modelos de contrato. No primeiro, o jogador atuaria sem salário - podendo ou não haver algum tipo de premiação por metas - e teria liberdade para atuar apenas em determinadas partidas, de acordo com sua condição física. Outra opção é o Vasco propor um contrato nos moldes tradicionais.

Outra questão a ser discutida é a dívida do Vasco com Juninho, relativa ao seu último contrato em São Januário. A ideia é que haja um acordo para o parcelamento, que começaria a ser pago quando o clube finalmente conseguir a liberação de suas receitas junto à Fazenda Nacional e a assinatura com novos patrocinadores. Recentemente, o Vasco firmou acordos com jogadores como Carlos Alberto, Eder Luis e Wendel relativos ao atraso no pagamento de direitos de imagem. No entanto, as parcelas ainda não começaram a ser quitadas.

Mesmo ciente das dificuldades do clube, Juninho considera o retorno como o desfecho ideal para uma carreira marcada pela idolatria dos torcedores vascaínos. Por sua vez, a diretoria entende que o retorno do Reizinho - possivelmente marcado por um jogo de despedida - poderá ser o passo inicial de uma onda de boas notícias que andam em falta em São Januário.

Fonte: GloboEsporte