Justiça intima Grêmio a dar rescisão de Luxemburgo a ex-jogador Edmundo

A Justiça comum enviou intimação para o Grêmio para que todos os pagamentos a serem feitos ao seu ex-técnico Luxemburgo sejam depositado para Edmundo.

A Justiça comum enviou uma intimação para o Grêmio para que todos os pagamentos a serem feitos ao seu ex-técnico Vanderlei Luxemburgo sejam depositados em favor do ex-jogador Edmundo. O objetivo é pegar parte da sua rescisão pela demissão do time gaúcho. A cobrança é porque o atual comentarista da Band é credor de cerca de R$ 2,1 milhões por uma ação judicial movida por cheques sem fundo do treinador.

Por contrato, Luxemburgo tem direito a um valor entre R$ 5 milhões e R$ 6 milhões, o que representa metade do que teria a receber até o final de 2014. O Grêmio, no entanto, só quer pagar metade disso de forma parcelada e usa credores do treinador na negociação.

A decisão de penhorar as receitas do técnico no clube gaúcho foi tomada em 2 de julho. Advogados do ex-jogador dizem que a intimação chegou à agremiação nesta semana. O blog teve acesso ao documento. Mas o Grêmio negou ter recebido a intimação, nem deu demonstração de que vá pagar Edmundo.

Representantes de Luxemburgo entendem que não há relação entre as penhoras sobre seus bens e contas e o valor da multa a que tem direito por contrato com o clube gaúcho. Para eles, não vai haver nenhuma retenção dos direitos dele.

A disputa com Edmundo se arrasta há anos na Justiça. Iniciou-se por conta de dois cheques dados pelo treinador, cada um com o valor de R$ 200 mil, para o ex-jogador.

O comentarista da Band alega que esses não tinham fundos e diz nunca ter recebido o dinheiro. Luxemburgo tem uma outra versão: afirma ter pago ao ex-jogador, mas não ter pego recebido. Assim, alega que a cobrança é indevida e por isso se recusa a quitar o débito. A Justiça deu razão a Edmundo em todas as instâncias.

Os advogados do ex-jogador só conseguiram receber uma pequena parte do valor. Foram penhoradas contas do treinador, da sua mulher e da sua empresa, mas todas ou estavam vazias ou tinham fundos insuficientes. Foram penhorados também bens da casa do técnico no Rio de Janeiro, como tapetes, sofás, dois carros e tvs. No total, arrecadou-se em torno de R$ 40 mil.

Durante todo esse período, Luxemburgo continuou a receber salários altos de clubes como Atlético-MG, Palmeiras, Flamengo, Grêmio e Santos. Mas nunca o dinheiro apareceu na sua conta, nem a Justiça conseguiu penhora-lo.

Agora, os advogados de Edmundo fazem uma nova tentativa com o Grêmio. Mas só vão ter acesso ao dinheiro se houver um pagamento da rescisão pelas contas em nome do treinador ou de sua mulher.

Fonte: UOL