Kaká faz gol salvador de pênalti aos 46 minutos e garante vitória contra o Egito

A seleção chegou a estar vencendo por 3 a 1, mas levou dois gols em cerca de um minuto no começo do segundo tempo

Um pênalti convertido por Kaká aos 46min do segundo tempo deu a vitória ao Brasil sobre o Egito, por 4 a 3, nesta segunda-feira, em Bloemfontein, na África do Sul, pela primeira rodada da Copa das Confederações.

A seleção chegou a estar vencendo por 3 a 1, mas levou dois gols em cerca de um minuto no começo do segundo tempo e só conseguiu a virada graças a um lance polêmico, em que Al Muhamadi foi expulso por defender uma bola em cima da linha --o jogador usou o braço.

Além da vitória, a equipe de Dunga festejou hoje o fato de ter completado um ano desde sua última derrota. No dia 15 de junho de 2008, a seleção levou 2 a 0 do Paraguai, pelas eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo-2010.

De lá para cá, foram quatro empates e oito vitórias, contando o jogo desta segunda. Nas últimas quatro partidas, foram quatro vitórias --antes, bateu Peru, Uruguai e Paraguai pelas eliminatórias--, igualando a melhor série do treinador à frente do time.

Para esta primeira partida da Copa das Confederações, Dunga manteve a base da equipe que passou por Uruguai e Paraguai. Com isso, escalou Daniel Alves na direita no lugar de Maicon, antigo titular da posição.

Luís Fabiano, que cumpriu suspensão na vitória por 2 a 1 sobre o Paraguai, na quarta, retornou ao time, devolvendo Nilmar para o banco de reservas.

O Brasil precisou de apenas cinco minutos para se colocar à frente do atual campeão africano. Recém-contratado pelo Real Madrid, Kaká chapelou Hani Said, passou por Gomaa e tocou na saída do goleiro El Hadary.

Quatro minutos depois, o Egito já empatou. Aboutrika foi à linha de fundo pela esquerda e cruzou para Zidan. Daniel Alves chegou atrasado no lance e não conseguiu impedir a cabeçada do atacante do Borussia Dortmund.

O início movimentado de partida rendeu mais um gol à seleção brasileira. Aos 12min, Elano levantou a bola para a área em cobrança de falta, Luís Fabiano se antecipou à defesa e desviou de cabeça para marcar.

Aos poucos, o ritmo alucinante foi substituído por uma sequência de passes curtos. As duas equipes encontravam espaço para atacar, mas não conseguiam criar mais oportunidades reais de gol.

Então, a jogada aérea brasileira voltou a funcionar. Elano cobrou escanteio aos 37min, Juan ganhou dos adversários por cima e cabeceou com força. El Hadary não teve tempo de esboçar uma reação e não conseguiu evitar o 3 a 1.

O Egito voltou a ameaçar a meta de Júlio César aos 46min. Depois de boa triangulação pela esquerda, Hosni Rabbou aproveitou cruzamento e finalizou com a cabeça. A bola passou por cima, mas perto do gol.

O fim do primeiro tempo apontava uma vitória tranquila para o Brasil, mas a equipe africana marcou duas vezes em cerca de um minuto na etapa final e igualou o placar. Aos 9min, Shawky chutou forte de fora da área e venceu Júlio César. Logo na sequência, Zidan recebeu passe de Aboutrika, ficou sozinho na cara de Júlio César e fez seu segundo gol.

Preocupado com a reação egípcia, Dunga fez duas alterações aos 17min. Elano e Robinho foram substituídos por Ramires e Alexandre Pato.

As substituições não deram efeito, e a seleção continuou sem se impor. Aos 32min, até criou uma boa chance com Kaká, que dominou no peito e emendou de fora da área por cima do gol.

Aos 44min, Lúcio chutou bem contra o gol rival, mas a bola bateu no braço de Al Muhamadi. O juiz deu o pênalti para a seleção e expulsou o egípcio. Na cobrança, aos 46min, Kaká deu a vitória ao Brasil.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br