Líder de torcida começa a ser implantado no Piauí em curso no 9º Congresso da Fiep

Existem campeonatos específicos de Cheerleading, como ocorre nos EUA, país que criou a atividade, sendo tão populares, que já foram parar no cinema

Animadora de torcida ou cheerleading. Esse é um dos temas inseridos neste ano no 9º Congresso Piauiense Científico da Federação Internacional de Educação Física (Fiep). A atividade consiste no uso organizado de música, dança e elementos ensaiados de ginástica acrobática em grupo, com o objetivo de fazer com que os torcedores animem seus times em partidas de futebol americano, basquetebol e futebol de campo. Existem campeonatos específicos de Cheerleading, como ocorre nos Estados Unidos, país que criou a atividade, sendo tão populares, que já foram parar nas telas de cinema.

Porém, pensando em introduzir novas modalidades ligadas ao corpo, a coordenação do congresso resolveu apostar no assunto, trazendo para ministrar um curso de três dias a professora chilena de educação física e juíza de campeonatos de líderes de torcida Paula Ávila Rivera. No Brasil, o esporte foi introduzido em 2008 pela Comissão Paulista de Cheerleading com treinamento a equipes vinculadas à Liga Paulista de Futebol Americano, porém não tem muita representatividade e praticamente não ocorre em outros tipos de eventos esportivos, ao contrário de países da América do Sul, como Argentina, Colômbia e Chile. No Piauí, a atividade não é praticada.

Quem atua nesse tipo de atividade geralmente é o público feminino, as chamadas cheerleaders, que animam jogos ou eventos esportivos em geral por meio de coreografias sincronizadas acompanhadas de incitações à vitória, com gritos de guerra do time ou clube que representam. As roupas também representam as cores do time ou clube e é preciso muito treino e preparo físico.

O curso é dividido em aulas teóricas e práticas e segue até sexta-feira (09), no setor de esportes da UFPI. Paula Rivera vai abordar preparação física, técnicas de segurança e coreografias como saltos, piruetas, giros, kicks e estilos de dança. Paula é Diretora da Liga de Animação do Chile, país que neste ano foi vice campeão mundial do concurso de animador de torcida, nos Estados Unidos.

?Nosso objetivo é trazer a cheerleading para o Piauí, onde grupos podem participar de eventos, formar outros profissionais na área, com muitas vantagens. Aqui estamos mostrando a dança de animação, a música, os saltos, o uso do pompom e do confete e os ritmos mais utilizados. Essa atividade tem normas e não pode utilizar qualquer movimento da ginástica acrobática?, explicou Paula Rivera, que foi cheerleader aos 14 anos de idade. Ela explica que as frases com o grito de animação para animar o time e a torcida sempre levam o nome da instituição que o grupo representa e são elementos essenciais no conjunto e nesta primeira aula esse tema foi treinado pelos alunos do curso.

Com o tema ?Compartilhando conhecimentos científicos, culturais e consolidando a práxis social?, o evento oferecerá no total 14 cursos para profissionais e alunos de educação física, pedagogia, educação, nutrição, fisioterapia, turismo e áreas afins. O evento acontece no setor de Esportes da UFPI. A programação completa do 9º Congresso Piauiense Científico da FIEP pode ser acessada no site do evento: www.fiep-pi.com.br


Líder de torcida começa a ser implantado no Piauí em curso no 9º Congresso da Fiep

Líder de torcida começa a ser implantado no Piauí em curso no 9º Congresso da Fiep

Líder de torcida começa a ser implantado no Piauí em curso no 9º Congresso da Fiep

Fonte: Assessoria