Liderança: Mistão da sub-20 bate Equador com dificuldades

Liderança: Mistão da sub-20 bate Equador com dificuldades

Brasil vence por 1 a 0 com belo gol de Henrique e encerra primeira fase invicto no Grupo B do Sul-Americano.

A Seleção Brasileira garantiu o primeiro lugar do Grupo B do Sul-Americano Sub-20. Sem Neymar e com um time misto, a equipe de Ney Franco teve dificuldades para vencer o Equador por 1 a 0 na madrugada desta quarta-feira, em Tacna (Peru), e encerrou a primeira fase de forma invicta.

Com a classificação para o hexagonal final já garantida com o empate de 1 a 1 com a Bolívia no domingo, Ney escalou apenas dois jogadores considerados titulares: o volante Zé Eduardo e o atacante Henrique, autor do gol da vitória. Belo gol, por sinal: o camisa 9 marcou após passe de calcanhar do meia Oscar. O Brasil chegou a levar pressão do rival e uma bola no travessão, mesmo com um a mais em campo a partir do 28º minuto de jogo, quando Cazares foi expulso.

Detalhe curioso marcou a participação do meia Lucas na partida. O jogador do São Paulo começou no banco e entrou aos oito do segundo tempo. Porém, recebeu um cartão amarelo e foi substituído aos 17. Assim, o são-paulino ficou apenas 11 minutos em campo.

O resultado no estádio Jorge Basadre deixou a Seleção com 10 pontos, seguida por Equador e Colômbia com quatro. O Paraguai tem três, e a Bolívia aparece com um. Os quatro países chegarão à última rodada, na próxima sexta, com chances de classificação (entram os três primeiros). No Grupo A, a Argentina já garantiu uma vaga. O campeão e o vice do Sul-Americano jogarão as Olimpíadas de 2012. Os quatro primeiros colocados vão para o Mundial Sub-20 deste ano, que será realizado na Colômbia.

Pendurados com um cartão amarelo, Juan, Neymar e Casemiro ficaram no banco. Danilo estava suspenso e desfalcou o Brasil. Para evitar perder jogadores por suspensões, Ney decidiu escalar o time misto, já que os cartões serão zerados para o hexagonal final.

Com apenas dois titulares (Zé Eduardo e Henrique), a Seleção sofreu com a falta de entrosamento. E quase levou um gol aos 12 minutos: Ibarra entrou pela direita, invadiu a área e soltou uma bomba no ângulo, obrigando o goleiro Aleksander a fazer grande defesa.

O Brasil demorou a encaixar uma jogada. Mas quando conseguiu, deu show. Aos 23, Alan Patrick iniciou o contra-ataque no meio-campo e tocou para Oscar. O meia do Internacional deu um lindo passe de calcanhar para Henrique, que entrou na área e bateu no canto direito do goleiro Jaramillo: 1 a 0.

Cinco minutos depois, o Equador perdeu o camisa 10 Cazares, que recebeu cartão vermelho por falta em Alan Patrick. Vale lembrar que o árbitro Diego Abal expulsou na estreia dois jogadores do Brasil e o técnico Ney Franco.

No intervalo, enquanto Ney Franco passava orientações ao time no vestiário, Neymar se divertia dentro do gramado. O camisa 7 foi convidado pelo peruano Renzo Motta a fazer embaixadinhas dentro do campo e os dois exibiram um vasto repertório de jogadas de habilidade. Renzo, de 41 anos, é famoso no Peru por fazer malabarismos com a bola.

Na etapa final, Ney colocou Lucas e Willian José em campo aos oito minutos, reforçando o meio-campo. Porém, aos 17 Lucas recebeu um cartão amarelo e deixou o técnico preocupado com suspensão para o hexagonal: aos 19, o camisa 10 foi substituído por Alex Sandro.

A melhor chance do Brasil no segundo tempo foi de Henrique, aos 28, quando o são-paulino bateu cruzado dentro da área e Jaramillo salvou com os pés. Mas os equatorianos chegaram ainda mais perto dois minutos depois: Montaño arriscou de fora da área e acertou o travessão de Aleksander. Aos 32, outra chance para o camisa 13 do Equador: Montaño recebeu lançamento, entrou na área e driblou o goleiro brasileiro, mas perdeu o ângulo e chutou por cima do gol, bem longe da baliza. No contra-ataque brasileiro, Diego Maurício arrancou pela esquerda, driblou dois rivais e bateu rente à trave de Jaramillo.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com