Lionel Messi salva e Barcelona derrota o Osasuna por 2 a 1

Lionel Messi salva e Barcelona derrota o Osasuna por 2 a 1

Messi não brilhou durante os 90 minutos, mas foi decisivo quando necessário e, para variar, alcançou mais uma marca significativa na carreira

Era uma atuação de arquivo que, certamente, seria contada para os netos. Por muito pouco, Andrés Fernandez não foi, pelo menos por uma tarde, maior do que Messi, Iniesta & cia.. Com defesas espetaculares em sequência, o goleiro do Osasuna, de 25 anos, segurou por 75 minutos o temível ataque do Barcelona. Bastaram, no entanto, os 15 minutos finais para que o argentino ? eleito o melhor jogador do mundo nos últimos três anos ? superar a muralha, marcar duas vezes, provar por que é tão venerado e levar o clube catalão à vitória de virada por 2 a 1 sobre o time de Pamploma, neste domingo, no Estadio Reyno de Navarra.

Messi não brilhou durante os 90 minutos, mas foi decisivo quando necessário e, para variar, alcançou mais uma marca significativa na carreira: nunca um jogador fez dois "dobletes" (dois gols no mesmo jogo) nas duas primeiras rodadas do Campeonato Espanhol (Messi havia balançado a rede duas vezes na estreia diante do Real Sociedad).

Na temporada, que mal começou, Messi já soma cinco gols em três compromissos oficiais do Barça na temporada.

Mesmo com o triunfo, o Barcelona pouco lembrou o time que encanta o mundo há pelo menos três temporadas. A começar pelo uniforme. A equipe jogou com a polêmica segunda camisa, que tem tons de laranja e amarelo em degradê. Em campo, também um time um pouco modificado, já que o técnico Tito Vilanova optou por poupar alguns jogadores para a decisão da Supercopa da Espanha, contra o Real Madrid, quarta-feira, no Santiago Bernabéu. No primeiro jogo, o Barça venceu por 3 a 2.

Jogando bem ou não, a vitória levou o Barcelona à liderança do Campeonato Espanhol com seis pontos, em dois jogos. O time catalão tem a mesma pontuação do Rayo Vallecano, porém, um saldo de gols maior.

Um paredão chamado Fernandez

Em campo contra o Osasuna, mas com a cabeça no Real Madrid. Pensando no adversário da decisão da próxima quarta-feira, o técnico Tito Vilanova decidiu poupar Xavi e Pedro. Os dois começaram no banco, assim como David Villa, que retorna de lesão, e o camaronês Alex Song, recém-contratado junto ao Arsenal.

Nem por isso o Barcelona, que entrou em campo com o polêmico uniforme amarelo em degradê, estava menos estrelado, já que Messi tinha ao lado jogadores como Iniesta, Fábregas, Sáncez & cia.. Nomes fortes, mas que não intimidaram o Osasuna. Desde o início, o clube de Navarra se lançou ao ataque. No primeiro lance, quando o relógio ainda não marcava um minuto de bola rolando, Cejudo invadiu a área e chutou cruzado. Valdés teve de operar um milagre para evitar o gol.

A ousadia foi premiada aos 16. Pela esquerda, Lamah cruzou para Llorente, no segundo poste, desviar e surpreender Valdés. Nem os torcedores do Osasuna pareciam acreditar: 1 a 0.

A agressividade dos anfitriões também gerava consequências e espaços para o Barcelona. E dar liberdade aos catalães costuma custar caro. Desta vez, porém, Messi & cia. encontraram um paredão no caminho. Com uma atuação espetacular no primeiro tempo, Andrés Fernandez parou aquele que é considerado o time mais forte do mundo no momento. Defendeu, em grande estilo, chutes de Iniesta, Sanchéz e Messi, mas de uma vez. A sorte também estava ao lado dele, já que Tello carimbou o travessão, e Iniesta, sozinho, isolou por cima do gol.

O segundo tempo começou como o primeiro terminou: com defesa de Andrés Fernandez. Com menos de um minuto, o guarda-meta do Osasuna já cortava cruzamento de Daniel Alves e abafava finalização de Sánchez.

Foi a senha para Tito modificar a equipe. Trocou Fábregas e Iniesta e mandou a campo Pedro e Xavi, respectivamente. Mas se alguma coisa mudou para o Barcelona foi pior. As chances de gol rarearam e, quando conseguia finalizar, o ataque catalão parava nas mãos de Fernandez.

Messi resolve em quatro minutos

No entanto, quem esteve mais perto do gol foi o Osasuna. Em um vacilo inconsequente, Busquets tentou sair jogando na entrada da área, mas foi desarmado por Nino que, de frente para Valdés, carimbou a trave. O lance irritou o técnico Tito, que foi expulso por reclamação.

De tanto insistir, o Barcelona chegou ao empate. Em lance em que Alexis Sánchez estava em posição irregular na origem da jogada, o chileno tocou para Messi. De dentro da pequena área, o argentino desviou, vencendo, enfim, a muralha chamada Fernandez, aos 30 minutos.

Porteira aberta, e sinal verde para Messi avançar. Quatro minutos após o primeiro, o argentino recebeu de Jordi Alba, pegou de primeira e faz seu segundo gol, virando o jogo para o Barcelona.







Fonte: Globo Esporte