Lusa aproveita cabeça da Ponte Preta em final,vence e afasta rebaixamento

Com um gol em cada tempo, Portuguesa vence pela primeira vez no Moisés Lucarelli em jogos do Brasileiro

A Ponte Preta entrou em campo rebaixada. Entrou, também, focada na decisão da Sul-Americana. Não à toa, pôs somente reservas em campo. Ninguém tem nada com isso. Muito menos a Portuguesa, que foi a Campinas para se livrar definitivamente do perigo do rebaixamento e, ao final de cansativos 90 minutos, conseguiu. Com gols de Henrique, em falha de marcação da zaga adversária, e Wanderson, após bela troca de passes do ataque, a Lusa fez 2 a 0 na Macaca em um vazio Moisés Lucarelli e garantiu permanência na elite do Campeonato Brasileiro pelo terceiro ano seguido (só um desastre faz a Rubor-Verde cair). Ao time da casa, resta contar os dias para quarta-feira, quando começa a disputa por um título internacional.



A vitória fora de casa neste domingo - a segunda nos últimos três jogos do Brasileirão - faz a Portuguesa alcançar 47 pontos e ultrapassar o Internacional. Agora na 13ª posição, a Lusa praticamente só cumpre tabela na última rodada, domingo que vem, contra o Grêmio, no Canindé. A única chance de queda é se Inter, Criciúma, Coritiba e Vasco vencerem na última rodada (os cariocas ainda precisam descontar a diferença de 11 gols de saldo).

Libertadores que também passa pela cabeça da Ponte. Vice-lanterna no Brasileiro, com apenas 36 pontos, a Ponte se despede do Brasileirão no próximo fim de semana, contra o Inter, no Centenário, em Caxias do Sul. O foco, porém, é além da última rodada: nas duas próximas quartas, a Macaca enfrenta o Lanús e disputa o título da Sul-Americana, que pode até interferir na classificação do Nacional. Afinal, Ponte campeã significa a diminuição de G-4 para G-3 - coisa que Goiás, Botafogo e Vitória não gostariam.

Interesse da Lusa faz a diferença

A bola nem tinha rolado para Ponte Preta e Portuguesa e a importância da partida já havia diminuído pela metade. O rebaixamento da Macaca, graças ao empate entre Fluminense e Atlético-MG, fez com que o time da casa desse ainda menos atenção ao duelo deste domingo. Jorginho mandou um time cheio de jogadores que tiveram poucas oportunidades sob seu comando (Daniel, Betão, Raphael Silva e Ferrugem, por exemplo). Melhor para a Portuguesa.

Ainda precisando de pontos para se livrar da queda, a Lusa foi para cima desde o início. Teve a chance de marcar com o artilheiro Gilberto, que parou na dividida com Daniel, mas só abriu caminho para a vitória minutos depois, com o atacante menos badalado. Henrique aproveitou escanteio cobrado por Souza e, sem marcação, só testou para a rede.

Um time já rebaixado sofre um gol em casa e se aproxima de mais uma derrota. Motivo para críticas? Não no Moisés Lucarelli. Se o time - mesmo os reservas que foram a campo - estavam com a cabeça no Lanús, a torcida mais ainda espera pela partida de quarta. Prova de que o jogo deste domingo no Majestoso foi, para o lado alvinegro do confronto, apenas mais um compromisso.

Sem nada a ver com o desinteresse, a Portuguesa seguiu o plano de deixar Campinas livre de vez do fantasma da Série B. Luis Ricardo acertou a trave na última chance de perigo do primeiro tempo e mostrou que a Lusa, mesmo longe do Canindé, sentia-se em casa no Moisés Lucarelli.

Aposta de Guto garante a vitória

O amplo domínio não satisfez Guto Ferreira, que preferiu trocar a criatividade de Souza por um posicionamento mais seguro com Wanderson. O meio-campista mostrou a que veio na primeira bola que pegou, ao forçar Daniel a grande defesa - minutos depois, livre, ele ainda desperdiçou outro chute quase que na pequena área. O jogador ainda decidiria a partida na metade do segundo tempo.

A troca de Guto Ferreira fez a Ponte se soltar aos poucos, especialmente em jogadas pelo lado direito. A cabeça, porém, não ajudou. Jorginho tentou modificar algumas peças, mas Rafael Ratão, Luizinho e Ferron não alteraram suficientemente a atuação da Macaca.

A Portuguesa aproveitou os erros pontepretanos para garantir a vitória com uma rápida troca de passes. Henrique recebeu dentro da área e rolou para Wanderson, que tocou para o gol vazio e confirmou a expectativa de Guto Ferreira. A jogada garantiu números finais ao jogo, satisfez a Lusa e impediu qualquer tentativa de reação da Ponte.

Fonte: GloboEsporte.com