Lutador de MMA vira "super-herói" e é preso nos Estados Unidos

Ben Fodor, irmão de lutador do Strikeforce, se veste de Phoenix Jones para combater o crime

Na semana do Dia das Crianças, um "super-herói" da vida real se deu mal. O lutador de MMA Ben Fodor ganhou as manchetes de jornais do mundo ao ser preso pela polícia de Seattle, nos EUA, no último domingo. Fodor foi detido usando o disfarce de Phoenix Jones, personagem criado por ele para combater o crime na cidade americana.

Lutador desconhecido do grande público, Ben Fodor, de 23 anos, é irmão adotivo de Caros Fodor, que atua no Strikeforce, e está invicto em 11 lutas no MMA, sendo 10 amadoras e uma profissional. Sua persona de Phoenix Jones é bem mais conhecida e já tem mais de 18 mil fãs no Facebook. Em sua página na rede social, Jones se descreve como "líder do Movimento de Super-heróis da Cidade da Chuva" ("Cidade da Chuva" é o apelido de Seattle) e coloca entre seus interesses pessoais "combater o crime além de aumentar a consciência de que qualquer um pode relatar um crime. Se todo mundo relatasse crimes, não haveria crime".


Lutador de MMA vira

Para isso, Fodor usa um uniforme preto e amarelo e uma lata de spray de pimenta. A atividade deu errado no último domingo, quando Jones, acompanhado de um segundo "super-herói" conhecido como Ghost, tentou apartar o que, para ele, era uma briga. O ocorrido foi registrado em vídeo pelo cinegrafista Ryan McNamee, que acompanhava a dupla.

- Seis ou sete caras estavam batendo em dois outros caras. Dois outros caras estavam lutando entre si, mas não de brincadeira, e as pessoas estavam gritando. Ninguém estava dançando, não foi ambíguo, com certeza houve briga. Eu estava discando 911 (número de emergência nos EUA) no telefone e um cara veio e me socou no rosto; Ryan também levou um soco - contou o escritor Tea Krulos, que também estava com Jones, ao site "msnbc.com". Krulos está escrevendo um livro sobre super-heróis da vida real.

O grupo atacado, todavia, chamou a polícia, que prendeu Jones sob a acusação de agressão com spray de pimenta. De acordo com a polícia, não há nenhuma indicação de que havia uma briga.

- Só porque ele está fantasiado, não significa que ele vai receber tratamento especial ou que esteja acima da lei. Você não pode sair usando spray de pimenta nas pessoas porque acha que elas estão brigando - disse o porta-voz da polícia de Seattle, o detetive Mark Jamieson.

Em entrevista à rádio KISW de Seattle, Fodor/Jones culpou um policial que não gosta dele pela prisão e negou ter feito qualquer coisa de errado.

- Nunca usarei um spray de pimenta num grupo de pessoas só porque estão dançando - afirmou, lembrando também que não respondeu às agressões de duas mulheres do grupo - Não toco em mulheres.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com