Luxemburgo evita comentar saída de Ronaldinho do Flamengo: "Não me pertence"

Luxemburgo evita comentar saída de Ronaldinho do Flamengo: "Não me pertence"

Técnico e jogador tiveram problemas de relacionamento na Gávea

A traumática e repentina saída de Ronaldinho do Flamengo na última quinta ecoou no Estádio Olímpico. E em dose dupla.

Primeiro, pela relação particular de amor e ódio que o camisa 10 e o Grêmio acabaram alimentando nos últimos anos, impulsionada pela preferência do jogador ao Rubro-Negro em detrimento do seu clube de formação, ainda em 2011. A outra frente atende por Vanderlei Luxemburgo.

A sua saída do comando do Flamengo, no início do ano, teve como pivô Ronaldinho e diversas turbulências entre ambos. Mesmo que a mágoa ainda perdure, o técnico se esquivou de respostas mais diretas sobre o desafeto. Foram três questionamentos durante a entrevista coletiva desta sexta-feira. Todas tiveram a mesma resposta:

- Encaro com naturalidade. Eu estou contratado pelo Grêmio. Seria falta de bom senso discutir o problema do Ronaldinho. Prefiro me envolver e viver intensamente o Grêmio. Eu nunca fugi de nada na minha vida. No momento certo, vou dizer o que aconteceu no Flamengo. Mas, agora, isso não me pertence. Estou no Grêmio e gostaria de ser perguntado sobre o Grêmio.

Da parte do Grêmio, o assunto é tratado num misto de indiferença e bom humor. Pelos corredores do Olímpico, a ideia de uma possível investida por Ronaldinho, que quase acertou com o clube gaúcho no início de 2011, surge como uma piada. Não há chance de isso acontecer. A não ser que... "o Saci tiver duas pernas", frase bastante dita no estádio.

Com 32 anos, Ronaldinho ficou 16 meses no Flamengo, após complicada negociação que envolveu ainda Grêmio e Palmeiras, em janeiro de 2011. Já no ano passado, Vanderlei Luxemburgo relevou os atrasos e o baixo rendimento de Ronaldinho nos treinos matinais e jogos. O jogador chegou fora do horário em setembro, outubro e novembro, mas Vanderlei Luxemburgo e o departamento de futebol evitaram maiores alardes.

Na atual temporada, no entanto, Luxa decidiu partir para o combate: irritou-se com a insônia no dia da reapresentação, pediu seu afastamento à presidente Patricia Amorim depois do episódio da mulher na concentração (a diretoria perdoou o jogador) e, nos bastidores, deixava clara sua insatisfação com Ronaldinho. O treinador enviava e-mails para a presidente para se queixar do capitão da equipe. Nesse cabo de guerra, Vanderlei levou a pior. Foi demitido.

Agora, é a vez de Ronaldinho deixar a Gávea. O jogador cobra uma dívida de R$ 40.177.714,00 e está livre para negociar com outro clube.

Fonte: Globo Esporte