Luxemburgo perde o cabo de guerra com Ronaldinho Gaúcho

Luxemburgo perde o cabo de guerra com Ronaldinho Gaúcho

Jogador e Assis teriam a garantia da presidente Patricia Amorim de que o técnico não continuará no cargo

O caldeirão borbulhante do Flamengo virou frigideira. E dentro dela está Vanderlei Luxemburgo. Em crise com Ronaldinho Gaúcho e sem qualquer respaldo da presidente Patricia Amorim, o técnico entrou em processo de fritura. Enfraquecido, Luxa perdeu o cabo de guerra com o astro do time e vê sua permanência no comando do Rubro-Negro tornar-se cada vez mais difícil.

Ronaldinho e Assis, irmão e empresário do jogador, teriam a garantia da presidente de que o técnico não continuará no cargo. Ao camisa 10, a mandatária teria pedido tranquilidade e assegurado que o treinador será demitido após o jogo da próxima quarta-feira, contra o Real Potosí, na Bolívia, pela pré-Libertadores. O aviso foi dado em forma de ligação, domingo passado, antes do amistoso contra o Corinthians, em Londrina, enquanto o atacante se preparava para deixar o ônibus que levaria a delegação ao Estádio do Café.

Assis ouviu o mesmo, só que na última quarta-feira. Na reunião realizada na Gávea para tratar da crise entre Fla e Traffic e dos cinco meses de salários atrasados de R10 (R$ 3,75 milhões), o choque entre o jogador e Luxemburgo entrou em pauta. O empresário condicionou a permanência do craque à saída do técnico. Ou Ronaldinho ou Vanderlei. A presidente garantiu que Luxa sai.

- Ronaldinho não fica com o Luxa. Garantiram isso a ele ? disse uma pessoa ligada a Assis.

Vanderlei soube da ligação de Patricia para o jogador e entrou em contato com ela para confirmar. Na sala de embarque do Aeroporto de Guarulhos (SP), ficou uma hora no telefone celular com a mandatária, andou de um lado a outro com ar preocupado e ouviu uma negativa da presidente. Patricia não repetiu o que dissera ao camisa 10.

A história também chegou aos ouvidos de Alex Silva. Contrariado com o atraso no pagamento de R$ 250 mil de luvas e irritado com o vice de finanças Michel Levy, o zagueiro decidiu que não compactuaria com a situação e tomou o caso como mais um motivo para abandonar o barco. Antes da viagem à Bolívia, deixou hotel em que a delegação se concentrava e não voltou mais.

Internamente, os nomes de Joel Santana e Renato Gaúcho estão em pauta. O primeiro tem a preferência de Patricia Amorim, enquanto um forte movimento entre os conselheiros do clube fortalece o segundo, que já teria sido inclusive sondado. A preferência de Ronaldinho também pesa. O astro da companhia sugeriu Renato, que tentou levá-lo para o Grêmio em 2011.

Crise estoura na pré-temporada

Patricia Amorim manteve longas conversas com dirigentes rubro-negros nesta quinta-feira. E ouviu conselhos sobre a gestão do futebol e ataques a Vanderlei Luxemburgo. Existe um consenso no clube de que, entre o técnico e Ronaldinho Gaúcho, a permanência do ídolo seria mais benéfica do que a do treinador. Além da rixa com o vice-presidente de Finanças, Michel Levy, Luxa está em processo de fritura entre conselheiros e pessoas que têm forte influência no alto escalão.

A relação Vanderlei-diretoria-Ronaldinho começou a azedar de vez durante a pré-temporada do time em Londrina. Depois de Michel Levy ter dito que ?um ou dois jogadores marqueteiros estavam fazendo barulho? por conta de luvas e direitos de imagem atrasados, Luxemburgo saiu em defesa do grupo na cobrança pública por salários atrasados.

Vou trabalhar muito para classificar o time para a fase seguinte da Libertadores. Depois, vou me posicionar sobre tudo que aconteceu na pré-temporada"

Luxa, antes de viajar à Bolívia

O técnico direcionou seus ataques a Levy, e fez questão de colocar um escudo em Patricia Amorim. Mas a presidente abriu fogo contra o treinador.

- Quem manda no clube sou eu. Se o treinador quer ser vice de Finanças e o vice de Finanças quer ser treinador, a coisa não vai acabar bem ? afirmou Patricia Amorim.

Poucos dias depois, Luxa prometeu o revide:

- De repente fui mal interpretado ou quiseram dar um cala-boca no Luxa: fica aqui e cala a boca.

Mas a resposta de Luxa pode ser dada já como ex-treinador do Flamengo. As declarações de Patricia Amorim irritaram Vanderlei. Durante todo o tempo em Londrina, o treinador comentou com pessoas próximas sua vontade.

- Vou largar tudo. Estão brincando com o Flamengo ? ameaçou Vanderlei, em conversas com diversos membros da comissão técnica.

Além da fritura, também aconteceu o esvaziamento do técnico no episódio em que Ronaldinho Gaúcho foi flagrado pelas câmeras do hotel em Londrina entrando no quarto onde estava hospedada uma mulher.

Depois de ter cruzado com o camisa 10 em atitude suspeita, o treinador fez uma varredura nos arquivos de vídeos das câmeras do circuito interno do hotel. Juntou as provas e repassou para a diretoria e o departamento jurídico.

O vice-presidente jurídico Rafael de Piro foi a Londrina solucionar o caso. Apesar das claras evidências, o jogador não aparecia acompanhado da mulher nas imagens. Luxa cobrou uma atitude enérgica da diretoria, que preferiu abafar o caso e deu apenas uma advertência ao camisa 10.

Vanderlei também não fala a mesma língua do diretor executivo Luiz Augusto Veloso, aliado de Patricia Amorim.

A presidente do Flamengo dá claros sinais de desgaste com o futebol. E com Vanderlei. Ao seu redor, sofre pressão pela demissão de Luxa e a manutenção de Ronaldinho Gaúcho, que marcou a virada do problemático ano de 2010 para 2011.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com